Fanfics da série Merlin

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Fanfics da série Merlin

Mensagem  Guinevere Pendragon em Qua Out 12, 2011 10:10 am

Postem aqui suas fanfics de Merlin!(independente do personagem ou casal)
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Ana em Qua Out 12, 2011 1:09 pm

No site da Fanfiction.net eu encontrei uma história muito boa sobre a serie Merlin!
Não é minha ( eu não tenho muito jeito para isso), mas acho que não há problema de a indicar!

a história chama-se "A Soul, A Mentality, A Name" (http://www.fanfiction.net/s/7249132/1/)

O problema é que a historia está ingles! Mas eu consegui traduzir com o Google, e consegui ler! Ela é realmente muito boa ( na minha opinião)!
avatar
Ana

Mensagens : 114
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Guinevere Pendragon em Qui Out 13, 2011 3:13 am

Ontem eu comecei a escrever uma fanfic ArMor(Arthur e Morgana).É de comédia e vai se chamar Passion and Rock'n'Roll.Sim, ela vai se passar no nosso tempo atual *_*Ou seja, muita confusão por aí,né?kkkkkkk!!!!!Ainda hoje eu posto o resumo e o primeiro capítulo dela, Wink
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Ana em Qui Out 13, 2011 5:27 am

heheh! siim! é uma boa ideia! heheh!
Fico á espera da história...
avatar
Ana

Mensagens : 114
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Paixão e Rock'n'Roll

Mensagem  Guinevere Pendragon em Qui Out 13, 2011 2:31 pm

Nome da fic: Paixão e Rock'n'Roll
Autora:Morgana Pendragon
Gênero:Comédia
Par Principal:ArMor(Arthur/Morgana)
Pares Secundários: Gwen/Lancelot,Sophia/Mordred, Merlin/Freya, Elena/Gwaine, Morgause/Cenred
Resumo da fic:Um concurso de bandas de rock vai agitar a cidade de Avalon e esquentar a rivalidade entre Arthur e Morgana.

Nota da autora:Então, essa fic é uma ideia maluca q surgiu da minha cabeça quando eu tava em um tédio enorme aqui em casa.Daí pensei: pq não fazer uma fic de Merlin em que o tempo seja o de hoje?Então eu comecei a esboçar a fic e resultou nisso aí,XD. Se eu não postar hj o primeiro capítulo, amanhã eu posto,XD.

Ps:Ah, sim: a ideia dos casais malucos aí foi uma ideia maluca q surgiu da minha cabeça e eu juntei a Sophia e o Mordred pq eles dois são pequenininhos,kkkkkkk!!!!!!!


Última edição por Morgana Pendragon em Qui Out 27, 2011 2:26 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Ana em Sex Out 14, 2011 6:23 am

ahhhhhhh! gostei! fico á espera!!
avatar
Ana

Mensagens : 114
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Inês em Sex Out 14, 2011 9:37 am

Interessante! Cool
Gostava mesmo de ter visto o Cenred com a Morgause!
avatar
Inês
Admin

Mensagens : 530
Data de inscrição : 16/03/2011
Idade : 32
Localização : Portugal - Coimbra

Ver perfil do usuário http://merlinportugal.foruns.com.pt / www.in-earth.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Fanfic:Paixão e Rock n Roll

Mensagem  Guinevere Pendragon em Sab Out 15, 2011 11:08 am

Capítulo 1-Pirou na batatinha ou no milkshake?

O relógio marcara o fim de mais um exaustivo dia de aulas no colégio St.Camelot para moças. O rígido lugar, marcado pela austeridade de seus docentes e pela sobriedade de suas alunas, parecia ganhar vida com o final de mais um semestre. O verão chegava, trazendo com ele a alegria juvenil e a o começo das férias bem próximo, certo grupo de garotas não se agüentavam de felicidade.

Gwen, Vivian, Morgause, Freya e Elena discutiam alegremente os planos de férias, enquanto certa morena por sobrenome LeFay tentava estudar.

A menina estava sentada num dos muitos degraus vagos na esplendorosa escadaria de pedras de granito escuro em frente à entrada da escola.

Tentava se concentrar nas várias teorias descritas nos livros e cadernos empilhados em seu colo, mas era tudo muito inútil. Tudo em vão, nada a faria se concentrar, sendo que as amigas tagarelavam feito, loucas. Uma querendo competir com a outra.

— Cara, vocês ficaram sabendo? Daniel Scott está solteiro! Parece que a idiota da namorada dele foi para outro país cuidar dos estudos, ou seja, carne nova no pedaço! - exclamou ,Morgause, sorridente.

Morgana revirou os olhos e os pregou novamente nos cadernos cujas páginas estavam lotadas de fórmulas.

— Jura? – indagou Elena, coçando o queixo – Ela é mesmo burra, largar um pedaço desses e em pleno verão, o coitadinho vai ser mais bombardeado que um cargueiro em plena guerra do golfo! Viu Morg? Eu estudei... – comentou ela virando-se para a amiga, que meneou a cabeça em afirmação.

— Falando em garotos, semana passada eu ouvi a nova canção do Knights... -Gwen falou como quem não quer nada, tentando de todas as formas chamar a atenção de Morgana.

— Também ouvi. Arthur não para de cantá-la! É no banho, é na cozinha, onde estiver... – reclamou Elena, e Morgana levantou o olhar a elas.

— Querem parar de matracar e de falar em seres insignificantes. Eu não quero mais estudar os vermes. – retrucou a morena irritada. – Muito menos, quero saber do seu "querido" irmão!

— E a música é boa? - Sophia perguntou.

— Bem, a letra é legal, mas os arranjos da música são muito simples, não precisam se preocupar! Não é o tipo de música que toca nas rádios. - Gwen contou sorrindo,confiante. - Mas relaxe,minha cara amiga Sophia.Aqueles patetas terão que suar muito a camisa pra chegar aos nossos pés.

— Isso é bem óbvio! – reforçou Freya, que até momento permanecera em silêncio – Mas sabem, eu nunca tinha reparado o quanto Josh Radcliffe fica bonito naquele uniforme! – emendou a outra morena mordendo o lábio inferior.

— Caramba, só sabem pensar nisso! – resmungou Morgana,irritada com as amigas. – tantas outras coisas boas pra ocupar a mente, e vocês estão questionando a "musiquinha" fuleira dos Knights, e se Josh ou Daniel vão ser fuzilados ou não com os uniformes! – concluiu ela, e as meninas riram.

— Morg, calma! Não foi bem assim. Acho que você se equivocou na construção da frase – brincou Elena.

— Morgana LeFay, você está precisando de um namorado. Desde quando você não liga para os gatinhos? - perguntou Morgause, enquanto passava gloss nos lábios.

— Pra mim chega! -Gwen puxou os livros da mão da morena e jogou para as mãos de Sophia. - Guarde isso em um lugar bem longe da Morg!

— Hei! Devolvam-me! – bradou ela levantando-se abruptamente. As outras riam, enquanto Sophia e Gwen faziam Morgana de "bobinha". – Argh! Guinevere, me devolve isso agora mesmo! – exclamou fulminando-a com o olhar.

Gwen deu a volta em Morgana e começou a cantarolar, implicando ainda mais a morena,que já soltava fogo pelas ventas, e faíscas no olhar. Ela então grudou as mãos na parte inferior do livro, enquanto Gwen se ocupava da parte superior. Ambas puxavam com tamanha força. Vivian até organizara uma apostinha entre as outras duas.

Gwen ou Morgana? Quem venceria o momentâneo duelo?

— Ok, eu só devolvo o bendito livro se você prometer guardar ele dentro da mochila, durante todo o decorrer das férias - Gwen riu da cara de tristeza da amiga ao ouvir a condição imposta. - Relaxa Morg, não é o fim do mundo, você terá que ficar longe dos livros durante o verão, não será tão ruim assim.

— Não será ruim! Quer parar de querer me controlar? – falou ela irritada. – Anda, me devolve. Eu... Prometo maneirar... Mas me devolve, está amassando a teoria Marxista!

— Olha, o único Marx que eu quero que você veja é o Marx Derek, do terceiro ano - Morgause falou, recebendo o olhar de concordância das amigas.

— Pois é exatamente esse que não quero ver nem pintado de ouro! – comentou ela estendendo a mão para Gwen, que lhe devolveu o livro – Obrigada!

A morena então se virou rapidamente. Tão rapidamente, que não avistara um objeto que percorrera o trajeto até ela em alta velocidade. E agora estava a milímetros de se chocarem.

— Morg! Cuidado! – exclamou Freya e Elena juntas.

No entanto fora tarde demais. O "objeto" batera em cheio em Hermione, lançando uma onda gosmenta de chocolate em cima da morena.

— Ah droga! Olha o que aconteceu, derrubei todo o meu milk shake - Arthur Pendragon lamentou com um sorriso maroto nos lábios, enquanto mirava a garota a sua frente. - Nossa,Morgana, você tem que tomar banho de vez em quando, anda muito sujinha! Olha para a sua blusa, toda marrom, sabe, minha mãe sempre me ensinou a tomar banho direitinho.

— Olha aqui seu idiota, está cego ou o quê!? – explodiu ela, enquanto tentava se limpar. Sua blusa imaculadamente branca estava com uma mancha marrom horrível e com pedacinhos de chocolate. Dificilmente sairia. – Preste atenção antes de sair andando com essa "coisa" por aí!

— Essa coisa tem nome, e se chama skate, mas eu te perdôo meu bombom. Por ter sérios problemas mentais você não lembra dos nomes de certos dos objetos! - ele mantinha um sorriso divertido enquanto via a morena se enfurecer.

Ela riu sem emoção. E o encarou furiosa.

— É claro, seu vela ambulante! – ironizou. - Mas quem tem problemas mentais por aqui é você! – acusou ela com o dedo levantado para as fuças dele. – Onde já se viu, atropelar as pessoas desse jeito?

— Caraca Arthur, que trombada! – exclamou Lancelot rindo, correndo com os outros para onde ele e Morgana estavam.

— Chegou o bando de idiotas, como se um não fosse o bastante. – resmungou Morgana, revirando os olhos.

— Cara! Um caso de amor, já ouviu falar da expressão: "aonde a vaca vai o boi vai atrás"? - Gwen entrava na briga. - Vocês me deprimem, Knights!

— Ah! Você me deprime Guinevere, com essas declarações idiotas. – desdenhou Lancelot. – Mas creio que foi vitima de sua própria "expressão", tanto que já está aqui ao lado da LeFay. Então tecnicamente, ela também se aplica a vocês...

— Pois a conversa ainda não chegou ao chiqueiro,Lancelot! - a morena desdenhou.

— Que droga! Tire as mãos de mim Pendragon! – bradou Morgana, dando um tapinha na mão do garoto que quis tirar "uma casquinha" dos pedacinhos de chocolate. – Você arruinou meu uniforme!

— Qual é,Morgana, você tem que me agradecer por isso! - o loiro, falou divertido. - Pelo menos agora você está mais... Digamos... mais gostosa!

A garota estreitou os olhos e apertou o livro que tinha em mãos. Bufou e engoliu em seco.

— Argh! Pendragon, seu maldito! Se não tivesse tantas testemunhas por aqui eu... Eu arremessaria esse livro, bem na sua cabeça! – ameaçou ela furiosa. Freya e Elena postaram-se ao lado da morena que estava mais irritada a cada minuto.

—Também te amo minha morena. -respondeu Arthur.

— Eu a seguro ou você? – sussurrou Elena à Freya.

— Acho melhor as duas. – respondeu rindo discreta, junto a amiga.

— "Minha morena" uma ova! – retrucou ela, se segurando para não voar ao pescoço dele e estrangulá-lo, não se importando nem com as testemunhas.

—Quer apostar ,Sophia? - perguntou a morena.

— Que tipo de aposta?

— Aposto dez pratas que a Morg acaba com o Arthur em menos de cinco minutos! - desafiou Gwen e Sophia sorriu:

— Pois eu aposto 20 que ela acaba com ele em menos de dois minutos. -Sophia falou marota olhando a briga se formar.

Morgana discutia fervorosamente com o loiro, que apenas assentia com a cabeça, achando graça de tudo, principalmente dela.

— Vem meu docinho, pode bater... - disse Arthur manhoso, oferecendo a face. - Tapa de amor não dói!

— Não dói, é? Tem certeza? – indagou com um sorrisinho cínico nos lábios. – Então vamos ver! – emendou ela que levantou o braço, fazendo menção de arremessar o pesado livro nele.

— Ok Sophia, eu aposto que o Arthur vai tentar beijar a Morg antes de ela jogar livro em cima dele! - a morena falou enquanto sentava ao lado de Sophia vendo de camarote a briga.

— Será que eles vão demorar muito? – perguntou Freya, que desistira de ficar ao lado de Morgana, para se sentar ao lado de Gwen e Sophia. – Josh Radcliffe está indo embora...

— Agora, você passou dos limites! – exclamou Morgana, colérica. Elena deu um passo para o lado, para não ser atingida, caso a amiga viesse mesmo a jogar o livro no irmão. E essa hipótese a cada segundo ficava mais provável.

— Ok, aposta feita! Eu aposto que o livro vai bater no Arthur e depois ele vai beijá-la - Sophia apertou as mãos com Gwen, mas antes que ela falasse algo foi interrompida - Espera! E as testemunhas? Não há aposta sem testemunha! Lancelot, quer ser a testemunha?

— E eu lá tenho cara de testemunha! Eu não quero ser testemunha. – comentou ele erguendo a sobrancelha e sorrindo.

— Ah Lancelot! - resmungou Gwen - Precisamos de você, por favor.

— Você precisa de mim, Guinevere? – indagou o moreno, malicioso.

— Eu preciso de você pra aposta, somente isso!- A morena exclamou e sorriu sarcástica, para o moreno. - Mas se você não fosse tão implicante até que serviria para outras coisas.

— Mas porque diabos você não quer ser testemunha? - perguntou Sophia, contrariada vendo a amiga dar bola para um Knight.

— Oras, é bem óbvio! – falou ele sorrindo enviesado. – Também quero apostar! E aposto, que Arthur irá desviar do livro, e não vai beijá-la, apenas instigá-la.

— Um minuto! - falou Morgause, chegando perto das amigas - Alguém falou em aposta? Estou dentro, aposto 10 pratas que: o Arthur vai levar uma livrada no olho e a Morg vai se arrepender de ter feito isso.

— E eu aposto que algo vai impedir a Morgana de bater no Arthur, que vai pegar o skate e sumir na próxima quadra! – falou Mordred, chegando mais perto dos apostadores.

— Ah! Vai perder mané! – zombou Lancelot. – Esse dinheiro já é meu!

— Fala sério drúida! - desdenhou Sophia, falando o tão amado apelido do garoto(os amigos de Mordred o chamavam de druída, por causa da semelhança do garoto com um e por causa do seu tamanho) - Não poderia ter apostado em nada pior.

—Todos apostaram? - perguntou Gwen, recebendo o sinal verde dos apostadores. - Podem largar ela Freya e Elena, larguem ela agora, tem muito dinheiro rolando nessa aposta!

— Ah lá vai ela! – exclamou Lancelot, rindo.

— Gente, para tudo! -interrompeu Nimueh, sendo seguida por uma onda de vaias. - A 98,7 está ao vivo transmitindo direto da nossa cidade, e adivinhem? Estão bem aqui no nosso colégio.

— Sou só eu? Ou todo mundo aqui vai matar a Nimueh? - perguntou Morgause.

— Todos vocês, menos o Mordred! – falou Freya, com um caderninho na mão – Acreditem se quiserem, ele venceu!

Enquanto o garoto contava o dinheiro arrecadado tranqüilamente sendo seguido pelos olhares raivosos de todos, Gwen não se agüentou e perguntou:

— Como você sabia que isso ia acontecer?

— Eu explico! – falou Cenred, tomando frente de Mordred, que deu se ombros ainda contando o dinheiro. – Ele não é vidente, se estão preocupados ou ansiosos por uma próxima visão. Nós dois vimos o anuncio da radio na internet, estávamos vindo avisar vocês, mas Nimueh fez o serviço. E que droga eu não ter falado antes de você Mordred! – lamentou ele.

—Filho da...! - gritou Merlin, abrindo os braços. - Vocês fazem uma aposta e nem pra me chamar? Bom, pelo menos eu não perdi dinheiro!

— Sorte sua! – murmurou Lancelot, emburrado. - E não é que o filho da mãe sumiu mesmo! - completou ele olhando para o vazio a sua frente.

— Pois eu acho injustiça, se o Mordred sabia de tudo, ele não pode ficar com o dinheiro! E falando em Mordred, cadê ele? - perguntou Morgause. - Ah não o desgraçado foi embora e levou todo o dinheiro!

— Mas não tava falando do Mordred, se bem que ainda recupero meu dinheiro! Ladrãozinho de merda! Tava falando do Arthur, o espertinho se mandou!-Lancelot, comentou,irado.Anotou mentalmente que ia matar o amigo menor assim que o encontrasse.

— Se mandou nada, eu vi em que direção ele correu, ele foi ver o que está acontecendo na porta da escola e pelo visto a Morg e a Elena foram junto - Merlin falou enquanto ia em direção ao burburinho formado em frente a escola.

— Então o que estamos fazendo aqui ainda? – questionou Freya guardando suas coisas e saindo na frente deles.

Nota da autora:Nossa,kkkkkk!Esse capítulo ficou demais,né?Ah, desculpem a demora,mas rotina de estudante de jornalismo é mesmo supercansativa.Admito que foi realmente engraçado imaginar o pessoal em um ambiente do nosso tempo e imaginar essa loucura de casais aí,XD.Isso é só o começo da fic, que tem muita coisa boa.vindo por aí,aguardem,XD.
Ps:Ah sim:Pra quem se perguntou,o nome das bandas das garotas vai ser Princess of Avalon e o nome da banda dos garotos vai ser Knights of Camelot!
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Paixao e Rock `n` roll

Mensagem  Guinevere Pendragon em Sab Out 22, 2011 2:30 pm

Capitulo 2-Ruas, banheiros, brigas e queijos fedidos



"E aí galera da pequena cidade de Avalon!

Nós da rádio 98,7: a rádio que só toca sucesso, vamos trazer a vocês um concurso que irá agitar o cotidiano quieto daqui! Sou Alisha Stuart, e estou aqui para falar um pouco do sensacional evento que traremos.

O Rock star Bands percorre todos os cantos da Bretanha, para descobrir novos e talentosos músicos. E nada melhor do que começarmos por aqui a garimpar nossos jovens talentos!

E não é só isso, a banda vencedora terá direito a empresáriamento artístico e irá gravar um CD pela Sony Records, sucesso garantido! As inscrições começam hoje e terminam amanhã ao meio dia, o valor da inscrição é de 100 libras, divirtam-se bandas e não percam tempo, porque uma chance como essa não bate a porta de vocês todos os dias!"

A moça no alto do carro falava sem parar, e as pessoas aplaudiam e ovacionavam a cada palavra dita. Realmente o concurso ia badalar as férias de verão.

Morgana olhara para as amigas, e murmurou o código secreto.

"RUA (reunião ultra-importante agora!).``

Bastou apenas essa palavrinha, para que todas elas dessem meia volta, e sumissem despercebidas, ou quase, da pequena multidão que se aglomerou com a grande notícia que tomava conta dos ânimos dos jovens da cidade, deixando os adultos em alarde.

Minutos mais tarde, estavam as cinco reunidas de portas fechadas, num dos banheiros do colégio.

Encontraram antes disto, uma loirinha concentrada arrumando as madeixas em frente ao espelho, mas ao ver o olhar fulminante de Sophia, no qual dava a entender: "CAIA FORA"!

Em letras grandes e garrafais.

Saiu de fininho deixando as Princess com o lugar só para elas.

Mal a garota fechara a porta, Morgana estendeu um panfleto, que havia pegado mais cedo, nas mãos e sorriu largamente.

— O que é isso Morg? – perguntou Freya, tocando uma melodia qualquer em sua flauta que retirara a pouco da bolsa.

— Isso? – indagou sorrindo e sacudindo novamente o panfleto nas mãos. – Isso é a nossa chance para subir ao topo do estrelato!

As outras sorriram, curiosas. Mas já a par da idéia da amiga.

— Mas garotas como vamos arranjar dinheiro pra inscrição?- perguntou Morgause, enquanto sentava-se no mármore da pia do banheiro.

— Eu não sei. Gary: o meu cofrinho. Está no zero a meses, desde que comprei uma flauta nova! – exclamou Freya, apoiando o instrumento no queixo, pensativa. – Temos que fazer alguma coisa!

— Olha, eu posso tomar conta do Júnior, o pestinha filho da minha vizinha e consigo umas 75 pratas, mas ainda vai faltar. - Gwen declarou enquanto tirava a mochila pesada das costas e sentava-se ao lado de Morgause.

— Coitada de você. Cuidar daquele peste! – exclamou Elena, horrorizada. – Mas eu sinto não poder ajudar, meu pai(N/A:Uther,XD ) confiscou meus bens por conta de uma "conversinha" que ouviu da boca do Arthur! Aquele otário, ainda me paga!

— Bem, não se aflijam! – exclamou Morgana. – Nimueh está me devendo um dinheiro, porque fiz um trabalho de química para ela, então acho que posso inteirar o restante, sem termos gastos adicionais.

— Ótimo... Então é o começo de um lindo futuro, Princess! - Sophia sorriu para as amigas, e para somente depois declarar com outro sorriso. - E o pesadelo dos Knight`s.

KC vs. POA

— Acho que já devem estar cientes do motivo pelo qual estamos aqui. – falou Arthur, olhando para os amigos.

— No banheiro feminino? – indagou Lancelot rindo, divertido. – Seria mais legal se tivesse mesmo garotas aqui dentro, e não um bando de homens exalando testosterona para todos os lados!

— Queria o que? Entramos escondidos no colégio! – falou Cenred, cruzando os braços. – E só pra constar é um colégio de meninas. Mas este banheiro não deve ser utilizado. Olhem só para as condições...

— Ok, vamos passar da parte dos porquês e ir direto ao assunto que nos trouxe aqui, e o assunto é: Porque diabos estamos dentro do banheiro feminino? -perguntou Merlin,olhando para os lados.

— Arre! Por acaso não ouviu o que eu disse? – questionou Cenred, impaciente. – Estamos no colégio St. Camelot para moças. E tínhamos que nos esconder num lugar com privacidade, mas... Oh...! Não se tem banheiros comuns masculinos, somente o dos professores, e lá não teríamos privacidade nenhuma, concorda? E outra. Seríamos pegos e enxotados daqui rapidinho!

— Estamos aqui porque o Arthur é bissexual e resolveu nos contar agora? - indagou Gwaine a esmo, fazendo com que Lancelot soltasse uma gargalhada sonora e Cenred abafasse uma.

— Pois saiba Gwaine que até o meu lado feminino é lésbico!- Arthur respondeu mal humorado, ganhando um sorriso do amigo em troca. – Bem, seguinte: temos até amanhã pra arranjar 100 pratas! Eu consigo uns trinta lavando o carro do meu pai, o resto vocês que se virem! Reunião terminada.

— Nossa Arthur, você é um líder e tanto. – caçoou Lancelot.

— Obrigado, Lance. Fico lisonjeado. Mas pelo menos eu tive uma idéia!

— E isso vai ser perfeito pra nossa banda! – exclamou Cenred.

— É claro, publicidade... – respondeu o loiro.

— Sucesso! – completou Merlin, com os olhos brilhando.

— E gatinhas, é lógico! – riu Lancelot, com os amigos.

— Bem, não fiquem tristes, por não termos dinheiro, eu posso vender a minha bicicleta pra ajudar. - disse Mordred que até então não havia sido visto pelos amigos.

— Caramba! – berrou Cenred. – De onde é que você surgiu?

— Eu sabia que vocês iriam se reunir por algum canto dessa escola, então eu vi que aqui era o lugar menos movimentado, segui meus instintos!- ao ver os rostos perplexos dos amigos, falou - Que foi? Eu sou lerdo, mas sou inteligente e tenho instintos como qualquer ser, mas voltando ao assunto eu consigo as 70 pratas pra completar o que falta pra inscrição!

— Ah! Mas era exatamente você que eu queria encontrar Mordred! – falou Lancelot, aproximando-se do garoto, que arregalou os olhos azuis e recuou. – Pode ir passando minhas 10 pratas de volta!

— Relaxa Lancelot! - Mordred falou se escondendo atrás de Gwaine. - Eu vendo a minha bicicleta e ganho 20 pratas, o resto eu pago com o dinheiro da aposta! Assim todos nós ficamos felizes.

— E eu estou mais feliz ainda por não ter apostado! - caçoou Merlin.

— Está bem, se safou desta,druida, mas da próxima vez, seu rosto fofinho, não vai sair ileso! – ameaçou o moreno, e Mordred pigarreou, nervoso.

— Bem... Então estamos resolvidos, acho que já podemos ir embora!- Arthur falou enquanto ia de encontro à porta logo a frente de Cenred, que parou bruscamente fazendo Arthur dar com a cara em suas costas. - Qual é Cenred, você não está muito velho pra brincar de estátua?

— Óbvio que estou velho, e nunca gostei dessa brincadeira idiota, mas...! Estou ouvindo passos! E estão chegando aqui pela intensidade do som!

— Estamos ferrados! – exclamou Lancelot, passando a mão pelos cabelos morenos. – Sim, estamos! E é tudo culpa sua, Arthur!

— Ah! Que legal, vamos brincar de colocar a culpa no Arthur, que seja, mas temos de nos esconder!- o loiro falou enquanto arranjava algum lugar para se esconder.

Os garotos rolaram os olhos pelo lugar, abarrotado de coisas inúteis. Caixas, instrumentos musicais e de ginástica forravam os cantos do "banheiro". Que pelo visto era tudo: depósito, lixão; menos um banheiro de verdade.

Com os olhos arregalados, eles andavam feito baratas tontas, procurando um esconderijo perfeito.

Cenred saiu na frente, e empurrava todas as portas dos boxes, a fim de achar alguma aberta. Logo foi imitado pelo restante. Lancelot se enfiou na frente de Merlin, que por pouco não tropeçara, num clarinete jogado ao chão.

Mas para infelicidade dos seis, apenas uma porta estava devidamente aberta. O único jeito seria espremerem-se lá dentro.

— Argh! Eu disse que não queria ficar num lugar cheio de machos! Que droga, sai pra lá Merlin! – exclamou o moreno, espremido num cantinho qualquer do BOX.

— Pois não temos muita escolha! - resmungou Merlin, tirando o pé do rumo, onde Mordred iria colocar o dele. - Não é nenhuma fantasia minha ficar preso no vestiário feminino com os caras da minha banda. Na real parece um pesadelo!

— E se você não calar logo essa boca, quem quer que seja vai descobrir o seu tão maravilhoso sonho, Merlin! - sibilou Gwaine, sendo comprimido na parede.

— Traduzindo tudo o que o Gwaine disse em apenas uma pequena frase! - Arthur respirou se ajeitando no mínimo espaço que ocupava e continuou. - Cala a boca!

— Essa é uma ótima idéia! – exclamou Cenred, finalizando a discussão.

— É! – exclamou Elena colocando a cabeleira loira para dentro da porta. – Você tinha razão Sophia, não tem ninguém aqui. Mas como sabia desse lugar, eu particularmente nunca vim por esses lados. – emendou a ruiva, que entrou seguida pelas amigas.

— É que eu e a Gwen conhecemos muito bem essa parte do colégio. Lembra-se daquele namorado da Morg? O que tinha uma banda de Punk Rock? O tal do Agravaine?- perguntou Sophia rindo ao ver Gwen disfarçar, ruborizada. - Então vamos dizer que há umas semanas atrás o guitarrista e o baterista dele, ficaram muito felizes comigo e com a Gwen.

— Cruzes Merlin! Da Sophia eu já esperava isso, mas da tua irmã? Estou abobalhado, na próxima eu peço pra sair com ela já que ela é assim tão dada. - Gwaine comentou sorridente, levando um tapa na cabeça, de Merlin.

— Oh! Céus, então é verdade? – indagou Freya rindo e as duas assentiram.

— Francamente, vocês são loucas. Até hoje me arrependo do relacionamento que tive com o Agravaine. Imagina aqueles dois! – contou Morgana.

—Ah, qual é Morg?- Morgause ralhou com a amiga enquanto escovava os cabelos loiros e cacheados de frente ao espelho sujo. - Você é uma verdadeira Cdf! Namorou o cara mais gostoso de todos os tempos e reclama? Tudo bem que o ``Agravainezinho" tinha sérios problemas na hora de falar, mas fora isso ele é um gato.

— Você sabe muito bem que prezo coisas além da aparência! E sei lá... Faltava algo nele, entendem? Eu já expliquei isso! – falou ela corando. – E obrigada, pelo CDF! – retrucou irônica.

— Resumindo o que a Morg disse... - Gwen olhou as amigas e sorriu para Sophia, que já sabia o que viria a seguir. - O Agravainezinho não beija bem!

— Ai não é isso! – reclamou a morena. – Ele até que beijava direitinho, mas não tínhamos... Cumplicidade. Não para conversas ou coisa do tipo. Mas tínhamos uma química explosiva... – terminou dando um sorrisinho.

—Tipo a química que você e o Pendragon têm? - Perguntou Gwen para a raiva de Morgana. - Aquele tipo de química que te faz ficar de cabeça quente e com as pernas bambas?

— Essa foi a pior asneira que eu já ouvi em todos os meus 18 anos de vida! – exclamou ela irritada.

— Mas por acaso... Aí não tem um fundinho de verdade? – insistiu Elena e a amiga revirou os olhos.

— Pois não é tanta asneira assim, existe um provérbio que fala... - começou Morgause lembrando dos ensinamentos de sua cultura. - Entre o amor e o ódio há apenas uma pequena linha.

— Sai fora! – desdenhou Morgana escorando-se num velho armário de madeira pregado na parede. – Essa linha existente entre nós é tão grossa quanto às sobrancelhas da professora Tabatha!

— Ah! Morgana relaxa. Você pode até não gostar dele, mas que o Arthur é um gato, isso ele é... - Comentou Gwen, recebendo uma careta de desprezo de Elena e Morgana.

— Gato? Há... Há... Essa beleza toda vai pro ralo, se você conviver com ele 24 horas por dia! – falou Elena.

— Eu acho à mesma coisa do Merlin, mas a Freya acha ele gostoso - respondeu Gwen deixando a morena vermelha - A questão é: Irmãs não contam na hora de avaliar o quesito gostosura.

— Isso é verdade, então, por favor, não falem dos nossos irmãos assim nesses termos. Não são ciúmes, mas é um tanto estranho e constrangedor. – disse Elena, enrugando o fino nariz.

— Hei! Eu não acho seu irmão gostoso. – protestou Freya. – Quer dizer, só um pouquinho...

—Nossa eu pensando que a Freya era a santinha do grupo! - Exclamou Gwaine, tomando ar. – Bem, ela pode até não ser santa, mas com certeza é cega! Pra gostar do Merlin e achar ele gostoso! – Merlin fechou a cara e novamente bateu na cabeça do moreno, que soltou um gemido baixo.

— Ouviram isso? – perguntou Morgana aguçando os ouvidos.

— Eu não ouvi nada, só ouvi uma outra asneira. Freya, você acha o Merlin gostoso? – indagou Elena zombeteira.

— Que coisa, o que tem isso demais? – retrucou a morena colocando as mãos na cintura.

—Bem, pra mim o cara mais bonito do Knights é o Lancelot!- Gwen revelou constrangida. - Por mais que ele seja um grosso ele é gostoso, acho que eu tenho uma queda por um bad boy!

— É... Tem gosto pra tudo... – murmurou Morgana que recebeu um leve empurrão da morena. – Nossa que papo mais doido, agente aqui falando daqueles energúmenos!

— Jesus apaga a luz!- exclamou Morgause. - A gente está falando dos Knights, mas eu tenho que discordar com você Gwen, pra mim o mais bonito é o Cenred, com aquele ar de inteligência e de homem mais velho! – terminou suspirando.

— Novamente há uma discordância. Gwaine é o mais gato! Com certeza absoluta! – exclamou Elena com uma risadinha.

— É... E você já andou dando uns beijinhos nele que eu sei. – insinuou Freya maliciosa.

— Shhii! Isso é segredo Freya! – falou Elena.

— Não acredito que você ficou com a Elena, seu filho da mãe! - Falava Arthur, sendo segurado por Cenred e Lancelot.

— Qual é Arthur? Relaxa... Quem mandou ter uma irmã gata? - Gwaine falou tranquilamente e desta vez levou uma bifa de Arthur.

— Eu ouvi um barulho estranho de novo! Será que tem ratos por aqui? – perguntou Morgana se afastando do armário.

— Odeio ratos... – murmurou Elena.

— Ok, vamos esquecer essa história de ratos, mesmo porque estamos falando de gatos. - declarou Sophia - Se todas estão confessando, então é a minha vez, eu acho o Mordred um gatinho.

— O QUÊ?- exclamaram as outras meninas em conjunto.

— Caraca, taí outra cega! – falou Lancelot abafando o riso.

— Acha o Mordred bonitinho? – indagou Freya a esmo.

— E eu que pensei que todos os maus-gostos tinham acabado... Amarrota-me que estou passada! – comentou Elena pasma.

— Acho que o Mordredzinho druidazinho ganhou o dia! - Falou Merlin sorrindo ao ver o rosto vermelho do colega. - Não precisa ficar envergonhado Mordr, espera...! Que cheiro é esse? - apurou o nariz mais uma vez e fez uma de suas conhecidas caretas. – Cara! Acho que as meninas têm razão, tem algum rato morto aqui.

— Minha santinha! Que odor é esse? – perguntou Elena, fazendo cara de nojo. – Morgana, sabe aquele rato que ouviu? – a morena mais velha assentiu, tapando o nariz. – Acabou de morrer!

— Putz, eu acho que o rato está bem aqui! Porque o cheiro vem de onde nós estamos, olhem pro chão talvez o rato esteja no pé de alguém. -Lancelot falou olhando para os próprios pés.

— Que rato que nada! – Exclamou Cenred, que estava a centímetros mais perto do garoto. – Mordred? O que foi que morreu aí dentro de você? – questionou ficando azul, por prender a respiração.

— Poxa gente, desculpa aí! - começou o garoto vermelho. - é que eu comi queijo no café da manhã e vocês sabem como eu fico quando como derivados do leite.

Todos eles soltaram muxoxos, depois de ouvir mais um estrondo pirotécnico vindo da barriga de Mordred, que sorriu amarelo.

— Caraca! Eu tenho que sair daqui! – exclamou Lancelot desesperado.

— Pra mim já chega! - gritou Gwaine.

— Vocês ouviram isso?- perguntou Gwen.

— Eu não agüento mais! Fui! – berrou Lancelot batendo o pé na porta, abrindo-a num estrondo.

—Que merda de café da manhã foi esse Mordred?- perguntou Arthur, enquanto era recebido do lado de fora do banheiro por cinco garotas de bocas abertas. - Ovo podre com peixe estragado?

— Não... Não! Foi elixir de gambá, com certeza! – comentou Lancelot.

— Eu não disse que tinha ratos por aqui meninas? – indagou Morgana com o semblante sério. – Sabia que isso tinha seu dedo, Pendragon!

— Na verdade não foi dedo nenhum do Arthur, foi a barriga do nosso querido tecladista... - começou Merlin. - a única coisa que o dedo do Arthur poderia fazer é tampar o buraco por onde estão saindo os gases do Mordred, seria como usar uma rolha, mas eu acho que o Arthur não vai querer esse trabalho tão sujo e pesado!

— O que estão fazendo aqui? – indagou Morgana. – Não sabia que tinham o hábito de invadir instituições privadas, e freqüentar banheiros femininos. Tudo bem que este está inutilizado, mas... Isso não vem ao caso!

— É isso mesmo! – apoiou Freya.

— Pois estávamos em uma reunião importante! - Arthur falou recebendo o apoio dos amigos. - Na realidade estávamos aqui primeiro que vocês e se não fosse pelo Mordred, sairíamos sem que vocês percebessem.

— Ai meu Deus, eles ouviram tudo! – pensou Elena, alto.

— Sim, ouvimos tudo e obrigado pela parte que você disse que me acha um gato ,Leninha! -Gwaine falou dando uma piscadela para a filha mais nova dos Pendragon. Ela corou e desviou os olhos.

— Seu tarado, filho da mãe, aproveitador de garotas indefesas! - Gritava Arthur enquanto era mais uma vez segurado pelas fortes mãos de Lancelot e Cenred. - Pois você vai ver Gwaine, você vai sair desse banheiro capado!

— Ninguém, vai "capar" ninguém! – bradou uma vozinha atrás de todos.

O conglomerado assustara-se de imediato. Morgana emitiu um muxoxo descrente, quando reconhecera a dona da voz irritantemente aguda. Igraine estava parada junto à porta, que pela confusão não fora ouvida quando esta fora aberta, ao seu lado, a professora húngara e corpulenta de Ed. Física permanecia do mesmo modo: imóvel e de braços cruzados. Os meninos arregalaram os olhos, alguns: Mordred e Merlin, desesperados e o restante, tentando não transparecer que estavam igualmente apavorados.

— Isso é uma mulher? - perguntou Merlin, ao analisar o corpo musculoso e o braço da mulher.

— Bem... Olhando por esse ângulo... - começou Gwaine encurvando a cabeça para o lado. - Eu acho que ela é mulher, porque eu nunca vi um homem de seios!

— Pode ser implante, esses dias eu vi um caso assim na TV. – confessou Mordred, e todos os garotos o olharam segurando as risadas.

— Eu não acho que ela seja um homem, na real! Pra mim ela não deve nem ser um gay ou um transformista! - Arthur entrou na conversa e ao ver os olhares dos amigos continuou. - Bem... Os transformistas e os gays cuidam da beleza.

— Acho melhor pararmos com os comentários alheios, porque acho que o que ela deve gostar de fazer mesmo, é acabar com linguarudos que nem vocês... – falou Cenred, prudente.

— E olhem só pro punho dela, aposto que o estrago seria terrível para nossos rostinhos! – Comentou Lancelot.

— Não corremos esse perigo, esqueceu que a primeira frase dela foi ninguém vai capar ninguém? - Gwaine relembrou aos amigos. - Nossos rostos podem ficar desfigurados, mas nosso querido amigo está a salvo!

— Por pouco tempo! - corrigiu Arthur, com cara de poucos amigos.

— O que fazem aqui rapazes? E que cheiro odioso é este? – indagou Igraine dando passinhos até eles, que se petrificaram. – E vocês meninas?

— Professora, é tudo culpa do Pendragon! - as garotas falaram em conjunto.

— Isso... Na dúvida culpem Arthur Pendragon!- resmungou Arthur.

— Mas a culpa pelo cheirinho odioso, não foi do meu igualmente odioso irmão. – se pronunciou Elena.

— A culpa foi de quem então? - perguntou Igraine.

— A culpa é totalmente e exclusivamente do queijo... -respondeu Merlin, tentando conter uma risada.

— De todos os derivados do leite... - acrescentou Gwen.

— Da fermentação... – completou Morgana.

— E de um estômago meio podre e fraco! - finalizou Sophia.

— Minha nossa! – exclamou ela. – Bem, isto não é de suma importância. Ainda não recebi as devidas explicações! O que faziam todos por aqui?

— Se a gente falar que estávamos apenas conversando a senhora não vai acreditar, então porque não aceleramos o trabalho, a senhora chama os nossos pais, nós levamos uma bronca enorme, ficamos semanas de castigo e todo mundo se ferra!-Gwaine falou fazendo pouco caso da professora.

A mulherzinha o olhou com cara de asco e ergueu a fina sobrancelha.

— Gwaine, suponho? – falou e o garoto assentiu, sorrindo acuado. Ela meneou a cabeça negativamente. – Ouço horrores a seu respeito rapazinho. – emendou e Merlin riu alto. – E de todos vocês também, ambos uns vândalos!

Agora fora a vez das meninas gargalharem. No entanto pararam quando a húngara postou-se ao lado de Igraine como um cão de guarda, um verdadeiro "pitt Bull". Morgana pigarreou. Freya agarrou-se na alça da bolsa que levava. Aquela mulher poderia assustar até o Fred Krueger.

— E espero que estas maçãs "podres", não venham a afetar minhas lindas e preciosas alunas. – falou mirando as meninas, que se enfileiraram impulsivamente.

— Bem, nós temos as maçãs... - Gwaine falou apontando para o grupo ao seu lado. - As brancas de neve... - e apontou para as Princess. - Agora só falta a bruxa pra completar o conto!- O garoto olhou ao redor da sala como que procurando algo, e parou ao ver o rosto curioso de Igraine, espreitando-o. – Oh! - o garoto suspirou fazendo uma expressão teatral. - Acabei de achar a bruxa.

— Ora seu moleque! – avançou a professora corpulenta.

— Camélia, pare! – ordenou a outra. – Não é de hoje que enfrento problemas, com o rapaz Gwaine... E com os Pendragon também... – acrescentou olhando para Arthur. - Posso resolver isso, sem precisar de força bruta. – explicou Igraine, calmamente.

— Ah, merda! O Gwaine chama a Igraine de bruxa e a culpa cai pra cima de mim? - resmungou Arthur mais uma vez.

— Eu disse para calarem a boca! – ralhou Cenred.

— Vai se comportando aí bonecão do posto velho! - repreendeu Morgause, apelidando o garoto por causa da altura do ``nerd velho`` dos Knight. - Você não manda em ninguém.

— E ninguém pediu sua opinião! – retrucou ele.

—Pois eu respondo na hora que eu quiser, filho de poste! - Morgause pronunciou baixinho para que a professora não ouvisse. Cedrico iria retrucar, mas a vice-diretora o interrompera.

— Calem-se! – mandou Igraine. – Me acompanhem, por favor. Todos vocês! Camélia?

— Sim, vice-diretora?

— Ligue para Gaius, e mande-o vir até aqui, teremos uma longa conversa. – disse ela em tom autoritário. A mulher logo passou pela porta em tropel. – Agora, todos comigo até a sala da diretoria!

— Mas senhorita Igraine, não estávamos fazendo nada demais! – protestou Morgana, apavorada com as conseqüências.

— Que ótimo senhorita LeFay, vou ter o prazer de ouvir isso, mas na minha sala!

— Dela nada, é da diretora Minerva... – sussurrou Elena a Freya, que se agarrou agora no braço da loira.

— Como eu amo a diretora Minerva! – falou num lamento. – Quero que ela volte logo, para o próximo semestre!

— Ai ferrou!- resmungou Merlin. - Chamaram o Gaius, agora só falta querer chamar os responsáveis.

— Gwaine! Eu vou entupir essa sua boca maldita! – exclamou Lancelot.

— Hã? Entupir a minha boca? Mas por quê? – indagou fazendo-se de inocente.

— Se eu me ferrar, o que é fato! Você me paga, Gwaine! – falou tentando se conter para não esganá-lo.

—Ah Lance! Vai se... - ao ver o olhar mortífero das meninas, sorriu amarelo e continuou. - Vai se acalmar.

— Não! Quem vai matá-lo sou eu. Se isso tiver conseqüências muito graves para meu currículo escolar, eu vou te perseguir Gwaine! – bradou Morgana saindo do banheiro com as amigas.

— Tadinha da Elena... - Gwen comentou com Sophia e Freya.

— Tadinha por quê? – entoaram juntas.

— Oras... Tadinha por que vai ficar viúva antes da lua de mel.

Entraram em silêncio na sala antes ocupada pela antiga diretora, que se ausentara para uma viagem. O cômodo antes sóbrio e discreto, já começava a apresentar indícios de sua mais nova ocupante. Igraine fechou a porta atrás de si. E dera a volta à mesa, acomodando-se na confortável cadeira giratória de cor bege. Apoiou os braços sob a mesa e juntou as mãos. Sorriu maquiavélica às suas alunas e aos clandestinos.

Minutos mais tarde, o algoz entrara na sala, acompanhado pela professora de Ed. Física. Gaius trajava seu habitual camisa azul e as calcas azuis. E seu semblante não poderia ser mais austero e raivoso.

—Expliquem-se - ordenou aos garotos.

— Assim como seus alunos, o senhor esqueceu as boas maneiras, professor Gaius? – alfinetou a vice-diretora do St. Camelot.

— Ora, Igraine. Tenho pressa, então não vamos mais enrolar. Sei que estes pestes vivem aprontando, e agora resolveram expandir seus domínios! – resmungou Gaius. - Então, se expliquem! – concluiu ignorando a mulherzinha.

— Bem... Tudo começou quando eu ainda nem havia nascido. Meu pai foi um dos grandes cavaleiros do milênio e eu herdei dele isso e é claro a beleza... - começou Gwaine, o seu discurso enfático.

— E o que isso tem a ver com o que eu perguntei? - Gaius perguntou sem mudar a expressão de desprezo do rosto.

— O Senhor pediu uma explicação logo estou dando essa!

— A questão é Gaius, que seus alunos são uns...

— Eu sei muito bem! – retrucou cortando a mulher. As meninas comprimiram os lábios, que ameaçavam sorrir e gargalhar. – Eu acho que posso resolver isso, sozinho. Não será muito difícil achar um castigo ideal a estes baderneiros!

— Cara eu to ferrado, eu to ferrado, eu to ferrado! - repetia Merlin em mais uma de suas famosas caretas.

— Reage Merlin!- ordenou Arthur. - Aja como um homem!

— Coitadinho, não se porta bem sobre pressões. – disse Freya.

— Cara isso é deprimente, meu irmão é um covarde. – suspirou Gwen, que foi pro lado do irmão e se postou na frente do moreno. - Merlin, isso vai doer mais em você do que em mim... - e deu um forte tapa no rosto do irmão. -Você é um homem ou uma barata Merlin? Não seja uma vergonha para nossa família!Fique firme e não desista!

— Nossa! – exclamou Freya, tentada a ir consolar o moreno. Que estava embasbacado. – Ela é má... Muito má!

— Olhe veja pelo lado bom! Pelo menos o Merlin não chorou. - concluiu Sophia vendo a morena voltar ao lado das meninas.

— Aí sim, seria vergonhoso! – falou Morgana a esmo. Mas prestando atenção ao que Igraine e Gaius discutiam.

— Acreditem é doloroso, mas é necessário - falou enquanto sentava na beirada da mesa tentando observar a conversa dos vices diretores.

Ambos mantinham o tom de voz o mais baixo possível. Enquanto, garotos e garotas encontravam-se apreensivos. O que será que eles tanto falavam em cochichos? Qual seria o castigo deles?

— Eu aceito tudo menos lavar as cuecas do Gaius! - dizia Arthur com tom de voz que ressaltava seu nojo pelo diretor.

— Ai... Lá vem a bomba! – falou Elena.

— Bem, senhoritas e senhores... – começou Igraine. – Gaius e eu tivemos uma pequena discussão sobre os possíveis castigos. E chegamos a uma conclusão. Aceitando a sugestão de Gaius, vocês vão passar o verão fazendo um trabalho comunitário.

— O que? – indagaram todos em coro.

— Sim, vocês serão monitores de verão, para os pequenos e futuros alunos de ambas as instituições. Se ficarem alguns minutos, nós diremos tudo que precisam saber sobre esse serviçinho...

Nota da autora:Caramba, ric pacas escrevendo esse cap,huahuahua!!!!!E o Arthur tem razão,viu?É sempre tudo culpa dele,poxa!Mas ah, foi tão divertido ver as meninas dizendo quem eram o Knight favorito de cada uma!O meu é... todo mundo do forum já sabe qual é,não,XD. E eu tb ri pacas escrevendo um Gaius malvado, a la Severo Snape,kkkkk Ate o proximo capitulo!


Última edição por Morgana Pendragon em Seg Out 24, 2011 6:39 am, editado 1 vez(es)
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Inês em Sab Out 22, 2011 3:41 pm

Estou a gostar Very Happy Very Happy Very Happy
avatar
Inês
Admin

Mensagens : 530
Data de inscrição : 16/03/2011
Idade : 32
Localização : Portugal - Coimbra

Ver perfil do usuário http://merlinportugal.foruns.com.pt / www.in-earth.blogspot.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Ana em Dom Out 23, 2011 8:56 am

Isto está a ficar demais ! continua Smile
avatar
Ana

Mensagens : 114
Data de inscrição : 28/04/2011
Idade : 24

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  CarlaFonseca em Ter Out 25, 2011 7:11 am

Muito boa a fanfic continua .. Gostei muito , mas ainda me estou a habituar que é um amor entre Morgana e Arthur , mas esta excelente .. Parabéns Smile
avatar
CarlaFonseca

Mensagens : 19
Data de inscrição : 15/10/2011
Idade : 24
Localização : Guimarães

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Paixão e Rock `n` Roll

Mensagem  Guinevere Pendragon em Qui Out 27, 2011 2:20 pm

Capitulo 3-Bebida,festa e muito rock

Aquela noite de início de verão não poderia ser mais "cruel" a um grupo de garotos que estavam jogados em um canto de um suntuoso salão de festas, onde pessoas andavam de um lado para o outro, tentando achar algo de agradável naquela comemoração. Se não fosse a obrigação de estarem ali, os seis rapazes, de caras amarradas, já teriam se esparramado e, com certeza, achado algo mais produtivo para fazer naquela noite, do que ficar ali vendo velhotas ajeitar as perucas e fofocar.

Não muito longe dali, avistaram as garotas, igualmente entediadas. Ora revirando os olhos, ora quase cochilando.

"Que festa de velhos!"

Se continuassem naquela mesmice dormiriam em segundos. Mordred já dera seus bocejos, acompanhado de Merlin. O moreno sentou-se numa grande cadeira e escorou a cabeça no encosto. Olhou para cima e suspirou.

— Cara! - exclamou Lancelot, chamando atenção dos amigos para si. - Que festa mais parada! Se mamãe não tivesse me ameaçado, eu não estaria aqui!

— Pois eu fui mais corajoso! - desdenhou Merlin. - Eu disse para a minha mãe: eu não vou e ponto final! Aí ela disse: Merlin, se você não for eu vou te bater! Mas eu não mudei de opinião!

— É, dá pra ver mesmo daqui que não mudou de opinião. - alfinetou Cenred.

— Quando a Gwen disse que ia ajudar a minha mãe a me bater, eu mudei de opinião! - o moreno explicou, dando um sorriso amarelo.

Os amigos riram. E por breves minutos o tédio fora embora.

— Caramba, falando em Gwen... Ela está uma gata com aquele "vestidinho"! - comentou Lancelot, dando uma olhada minuciosa na morena que gesticulava às amigas.

— Olha como você fala da minha irmã, moreno seco! Eca a Gwen é feia! Muito feia, ela perde pra Fiona! - o moreno, um tanto agressivo(N/A: Nossa,o Merlin agressivo? ME-DO, O.O ), comentou com os amigos.

— Para completar seu comentário Lance. - Começou Mordred e os garotos olharam para ele, curiosos. - Todas elas estão gatas!

Não muito longe dali o grupo de meninas comentava sobre todo o tipo de coisa que pudesse ajudar a passar o tempo. Os bailes dados pelas damas da Bretanha sempre prometiam ser tediosos e chatos.

As meninas falavam sobre o ocorrido no dia anterior e sobre o tão injusto castigo, mas como a própria Sophia outrora havia dito: detenções fazem parte da vida de uma banda de rock.

— Pode até ser legal pra vocês este negócio de detenção, mas pra mim é a ruína! - exclamou Morgana cruzando os braços, e desviando os olhos, quando Arthur a olhara de longe.

— Qual é Morg! - Morgause resmungou cansada do discurso rotineiro da morena. - De que vale uma vida sem riscos e detenções? – indagou e a outra dera de ombros. - Olha acho melhor mudarmos de assunto... Porque esse se esgotou!

— Sim, eu concordo! - disse Elena. - Eu vou ter pesadelos com esta detenção, e com certeza à vice-diretora e aquele cara brega, vão me perseguir nele, então é melhor eu me distrair um pouquinho!

— Falando em distração... -começou Sophia. - Vocês já olharam o filho mais velho da senhora Parkins?

— Mas é claro, e agora que você puxou assunto. Minha nossa! - exclamou Freya juntando as duas mãos e erguendo-as sonhadora, logo em seguida suspirou. - Ai! Como ele está mudado não?

— Ele beija muito mal! - Gwen falou sonolenta sem perceber ao certo o que havia dito.

— O que disse? - indagou Morgana com um sorrisinho nos lábios.

— Eu disse que ele... Oh...! - a morena de boca aberta exclamou. - Eu não disse nada!

— Disse sim Guinevere! - exclamou Elena rindo. - Mas quer dizer que ele beija mal é? Que decepção! - lamentou a loira fazendo beicinho.

— Ele pediu pra eu não contar pra ninguém, mas ele beija muito mal! Eu tive a infelicidade de ensinar uns truques pra ele, deprimente! Ele nem sabia onde colocar a língua!- a morena relembrou ,com cara de nojo.

— Isso sim é decepção! - reforçou Freya.

— Nem me fale! Nunca beijei alguém que babasse tanto, parecia que estava saindo uma cachoeira da boca dele... - Gwen fechou os olhos sem tirar da face o nojo. -... E entre o nojo, decepção e o resto do tempo, eu me perguntava: como ele consegue colocar esse tanto de "água" pra fora?

— Já chega, por favor! - pediu Morgana, e as meninas assentiram. - Que nojo!

Freya então fizera uma carinha de arrependimento, por ter piscado ao garoto. Que por infortúnio seu, dera sinais de que estava interessado.

— Hei olha quem está vindo na nossa direção! - apontou Morgause.

— Quem? Não estou vendo! Aquele garçom barrigudo não sai da minha frente! - reclamou Elena.

— Nossos irmãos e CIA, estão vindo para a nossa linda mesa!- Gwen falou tentando não olhar para o "mau beijador" que estava a poucas mesas de distância.

— Ah! Claro, era só o que faltava mesmo para a noite ser mais "divertida" - comentou Morgana, irônica, com uma vontade imensa de fugir dali.

— Não reclama pelo menos a gente vai poder se divertir à custa do Mordred. Eu estou querendo mesmo saber como ele consegue ser tão podre por dentro! -Morgause relembrou o incidente do queijo.

— Deus nos livre! - exclamou Freya. - Se ele solta mais um desses, aqui dentro eu vomito! Mas se bem que seria bom, pra espantar o gatinho que beija mal, com a presença dos meninos aqui ele não vai chegar perto de mim!

Enquanto as meninas discutiam alegremente, Lancelot confabulava uma de suas idéias brilhantes.

Uma maneira de "alegrar" a festa das coroas.

Antes que chegassem à mesa das Princess, puxou Merlin e Cenred para perto de uma das mesas com sucos e refrigerantes. O moreno sorriu e abriu um pouco o blazer azul marinho feito por encomenda(N/A: Ui, q sexy*_*O nosso amado moreno de blazer azul-marinho *-*), deixando que uma pequena garrafa de cor prata aparecesse.

— O que é isso,Lance? - indagou Cenred.

— Isso aqui meu caro amigo, é certeza de umas belas e sonoras risadas, e sinal de que essa festa vai sair da mesmice. - comemorou o moreno alto, com um sorriso no canto dos lábios.

— Essa festa só vai ficar legal se dentro desta pequena garrafa houver uma gênia que nos dê três desejos!- zombou Merlin, sem confiança no amigo.

— Ainda assim, três desejos seriam poucos! - reclamou Cenred.

— Pois o que tenho aqui é muito melhor que isso, eu garanto. Ou melhor, meu pai garante... - falou ele rindo, e os outros dois o olharam curiosos. - Digamos que andei visitando o acervo de Whisky lá de casa...

— E o que eu tenho a ver com isso? - perguntou Merlin sarcástico - Aliás, o que isso tem a ver com a festa?

— Argh! Você é mesmo lento, até uma lesma passando mal, ganha de você! - falou Cenred.

— Merlin, aproveite que estou bem paciente hoje, graças ao modelito da sua irmã... - começou Lancelot a explicar. - Mas continuando, esse liquidozinho aqui dentro, é o passaporte para deixar as pessoas mais alegres, entende?

—OHH! - o moreno falou de boca aberta. - Você vai embebedar as velhotas? - Merlin falou alto ,sendo logo repreendido pelos amigos.

— Oh! Meu deus, Merlin! - exclamou Cenred, dramático. - Você conseguiu acompanhar o raciocínio!

— Oh Cenred você tentou fazer uma piada!- dramatizou de novo o moreno. - Pois não teve a mínima graça, para não te deixar mais sem graça ainda, eu vou rir HÁ... HA!

— Viu só? Agora quem ganha, Merlin ou a lesma? - brincou Lancelot.

Enquanto Lancelot abria a pequena garrafa e colocava o conteúdo dentro do suco de frutas mais próximo, Arthur e Morgana continuavam em mais uma de suas intermináveis brigas. As Princess apostavam na reação dela, a cada comentário maroto que o loiro soltava para enfurecer Morgana. Depois de uma série de murmurações e xingamentos, a morena se afastou das amigas e foi diretamente para a mesa de bebidas com a desculpa de que precisava de um bom copo de suco para esfriar os ânimos.

Estava mais que nervosa.

Estava furiosa!

Como aquele garoto tinha o dom de deixá-la fora do seu juízo perfeito?

Bufou e virou-se para procurar algo para beber. Alguma coisa bem gelada, somente assim para refrescar a fúria que sentia. Passou os olhos pela mesa, e sorriu.

"Hum! Suco de frutas!"

— Olha quem está se dirigindo para a mesa do suco "batizado"! - Apontou Merlin.

— Opa! - exclamou Lancelot, esfregando suas mãos. - Nossa primeira vítima!

— Agora é definitivo Lancelot! Você não tem permissão para ficar com a minha irmã! Você é mau demais pra ela!- Merlin falou entre os dentes.

— Até parece! - zombou Lance. - Você não a ouviu dizer que se amarra num bad boy, este em especial? - indagou apontando para si. - E "se" ficarmos algum dia, não precisamos da sua permissão, Senhor Lesma!

— Eu não tô ligando a mínima para os beijos ou coisas do tipo! Eu estou pensando no bem, na paz mundial! Duas mentes psicóticas como a de vocês e juntas? De jeito nenhum... - reclamou o moreno.

O loiro revirou os olhos. Em seguida mirou-os para Morgana, que virava o copo com tudo. Se ela continuasse daquele jeito, a festa iria ficar mais animada do que ele previra.

— Gente, eu tô imaginando aqui... a LeFay bêbada. Será que ela vai ficar que nem a Sophia na última festa que tivemos? - indagou Lancelot e Cenred riu com gosto.

Os minutos passaram-se e Morgana cada vez mais bebia o "delicioso e refrescante" suco de frutas. Até piscar para o gatinho que beijava mal e exageradamente molhado, ela piscara.

As Sweet's então se assustaram quando ouviram o estrondo feito por Morgana ao sentar-se numa cadeira. A morena que sempre prezava a educação, estava falando alto e rindo a toa. As garotas se entreolharam temerosas enquanto observavam mais uma vez a nova personalidade de Morgana.

— Quem é você e o que fez com Morgana LeFay? - perguntou Gwen olhando nos olhos da amiga.

— Morgana LeFay? - indagou a garota risonha. – Eu não a vi, vocês viram?

— Santa baratinha da Escócia! - exclamou Morgause ao ver o estado um tanto quanto "animado" demais da amiga. - Morgana LeFay, o que fizeram com você? Fala comigo, amiga!

— Ai céus! É impressão minha ou ela está pra lá de Bagdá destruída? – questionou Freya, horrorizada.

— Morgana Katherine LeFay! Como você se atreve a gritar em uma mesa repleta de pessoas refinadas? Eu estou totalmente desgostosa!- Gwen repreendeu a amiga se baseando nas brigas de sua mãe com Merlin.

— Relaxa Gwen! – falou ela e riu. – Sabe... Mais uns anos, e você fica a cara da sua mãe!

— Digamos que a parte possessiva veio para mim e a parte meio banana foi pro Merlin. Se bem que mamãe não tem nada de banana, mas deixa pra lá! - a morena contou sorrindo e esquecendo da, até então, esquisitice da amiga. - Que tédio, quem dera nós pudéssemos tocar uma música decente nessa festa!

— E quem disse que agente não pode? – indagou Morgana, retirando casaquinho claro que vestia.

A morena então deixou a mesa, e rumou para o centro do palco.

— Maria Fernanda Rodrigues do Perpétuo Socorro - invocou Morgause - Padroeira das Rock Stars meio doidas, ajude as Princess nesse momento, porque a coisa não vai ficar boa!

— Não vai ficar... Já está feia! – alertou Elena.

A Morena subiu as pequenas escadas que levavam ao palco e, antes de colocar a mão no microfone, assoviou para as meninas da banda que seguiram o mesmo caminho da amiga, porém sem a mesma animação visível, as garotas se ajeitavam nos instrumentos deixados no palco olhando assustadas para a platéia de senhoras um tanto quanto curiosas.

A mãe de Morgana arregalou os olhos e tapou a boca, surpresa. Os garotos da festa assoviaram quando a morena pediu atenção. Pensou em ir até lá tirar a filha na marra do palco, mas um aglomerado de pessoas barrou sua tentativa.

— Morgana o que vamos tocar? - perguntou Gwen enquanto afinava a guitarra.

— Que tal... I love rock'n roll? – indagou ela sorrindo.

Os acordes fortes da guitarra de Gwen despertaram todos os jovens entediados da festa, e uma Morgana cheia de sensualidade e facetas surgira dentro do palco.

iHey? Is this thing on? (Hey? Isso está ligado?).

Hã... hã

I saw him dancing there by the record machine (Eu vi ele dançando ali perto da máquina de música).

I knew he must have been about seventeen (Eu sabia que ele deveria ter uns dezessete).

The beat was going strong (A batida estava ficando mais forte).

Playing my favorite song... (Tocando minha música favorita). /i

Arthur deixara Merlin falando sozinho e se espremeu no meio de tantos outros garotos, que literalmente babavam, por Morgana e as meninas. Ele sorriu maroto, e ergueu a sobrancelha.

O tinha acontecido ele não sabia, mas estava adorando!

iAnd I could tell it wouldn't be long. (E eu poderia dizer que não iria durar)

Until he was with me, yeay me! (Enquanto ele estivesse comigo, yeah comigo)

And I could tell it wouldn't be long (E eu poderia dizer que não iria durar)

until he was with me, yeah with me!(enquanto ele estivesse comigo, yeah comigo)

Singing ... (Cante comigo)./i

— Oh Meu Deus! Richard tire nossa filha desse pardieiro! – exclamou a Sra. LeFay aflita.

— Por mim ela pode continuar lá Sra. LeFay! – falou Lancelot malicioso cortando caminho e se juntando a Arthur.

A atmosfera da festa havia mudado completamente, de uma festa requintada e completamente chata, a um maravilhoso show de rock, onde as estrelas tinham nome...

Seis meninas: Morgana, Elena,Freya, Gwen, Sophia e Morgause.

Princess of Avalon para sempre e a cada acorde da guitarra, cada nota cantada por Morgana, elas deixavam bem claro para o que vieram!

iI love Rock 'N Roll (Eu amo rock and roll)

So put another dime in the jukebox, baby (Então bote outra moeda na máquina de música, baby)

I love Rock N' Roll (Eu amo rock and roll)

So come and take your time and dance with me (Então venha e passe seu tempo dançando comigo)./i

Os seis garotos da banda rival, agora estavam juntos assistindo ao "show". As reações eram praticamente as mesmas. Mas todas elas continham um fio de preocupação.

— Desde quando elas ficaram tão boas assim? – indagou Cenred, alto.

— Boas, em que sentido? – replicou Lancelot.

iSinging ...

(Cante comigo)

I love Rock 'N Roll (Eu amo rock and roll)

So put another dime in the jukebox, baby(Então bote outra moeda na máquina de música, baby)

I love Rock N' Roll (Eu amo rock and roll)

So come and take your time and dance with me (Então venha e passe seu tempo dançando comigo)/i

Uther quase infartou quando viu sua filhinha dançando no balcão na companhia de Morgana.

— Me segura Katrina que eu vou ter um infarto!- exclamou o patriarca dos Pendragon colocando a mão no peito.

— Relaxem... - falou Leon sustentando o sorriso maroto de sempre no rosto.

— A Elena cresceu! - sorriu Gwaine olhando atentamente as curvas da loira dos Pendragon.

- Desculpe o atrevimento Sr. P , mas ele tem razão! - concordou Lancelot. - Ela cresceu... E como cresceu!

iHe smiled, so I got up and asked for his name (Ele sorriu, então eu me liguei e perguntei o seu nome)

That don't matter, he said, "cause it's all the same" (Isso não importa, ele disse, porque é tudo a mesma coisa)

I said, "Can I take you home where we can be alone?" (Eu disse, posso te levar para casa onde poderemos estar sozinhos?)

And next we were moving on (E depois estávamos nos movendo)

And he was with me, yeah me!(E ele estava comigo, yeah, comigo)

And we were moving on (E estávamos nos movendo)

Singing the same old song, yeah with me! (Cantando a mesma velha música)

Singing(Cante comigo)/i

— Narcisa eu não acredito que a minha filhinha educada pelos melhores colégios do mundo está tocando rock! - Reclamou a mãe de Sophia.

— Fique calma Lilly... Sabe, eu até gosto dessa música, é tão jovial! - exclamou a morena, deixando a mãe da baterista raivosa.

— Já chega! Se tenho que agüentar isso, então eu vou agüentar fumando! - a morena tirou o maço de dentro da bolsa e, com as mãos tremendo, acendeu o cigarro dando longas tragadas.

Logo a densa fumaça subiu ao teto do lugar. E a cada tragada, ela se transformava numa camada escura.

Tanta poluição, fez com que os alarmes de incêndio instalados em cima das cabeças de todos, disparassem, jorrando uma água fria sobre os presentes.

A primeira reação das mulheres ali, foi de protegerem seus preciosos penteados. Logo depois armaram um circo.

Fora ouvida uma onda de lamentos e desânimo dos presentes, por acharem que o "show" iria acabar, mas as Princess não deixaram a bola cair e continuaram, agora com uma platéia totalmente molhada e histérica.

iI love Rock 'N Roll (Eu amo rock and roll)

So put another dime in the jukebox, baby(Então bote outra moeda na máquina de música, baby)

I love Rock N' Roll (Eu amo rock and roll)

So come and take your time and dance with me (Então venha e passe seu tempo dançando comigo)

own!

I love Rock N' Roll (Eu amo rock and roll)

'Cause it suits my soul (Porque preenche minha alma)

I love Rock N' Roll Yeah...(Eu amo rock and roll yeah...)/i

Elena e Morgana formavam uma dupla e tanto em cima do balcão. E a alegria delas, juntamente com a água jorrada, contagiaram a alguns jovens, que as imitavam na dança. Outros nem conseguiam, devido ao constrangimento dos adultos presentes.

As damas da alta sociedade da Bretanha estavam atônitas.

— Sophia! - gritou Gwen sendo ouvida pela colega de banda. - No três a gente para de tocar, falou?

— Mas por quê? - perguntou a ruiva sendo seguida de Freya e Morgause.

— Porque eu também quero me divertir no balcão, vamos terminar a música sem a guitarra, só na voz linda da Morg vai ficar bem maneiro!

As garotas saíram dos instrumentos e foram para cima do balcão, dançando ao som da voz de Morgana.

iI love Rock 'N Roll (Eu amo rock and roll)

So put another dime in the jukebox, baby(Então bote outra moeda na máquina de música, baby)

I love Rock N' Roll (Eu amo rock and roll)

So come and take your time and dance with me (Então venha e passe seu tempo dançando comigo)

own!

I love Rock N' Roll (Eu amo rock and roll)

'Cause it suits my soul (Porque preenche minha alma)

I love Rock N' Roll Yeah...(Eu amo rock and roll yeah...)/i

Morgana dançava freneticamente no balcão. Realmente quem a visse outrora, e quem a visse agora, acharia se tratar de outra pessoa. O álcool verdadeiramente fizera mudanças drásticas no comportamento recatado da morena.

Enfim a música havia acabado e o som de gritos histéricos foram ouvidos, a morena olhou nos olhos do líder dos Knights` , e sorriu como nunca sorrira antes. Acabava de provar para Arthur Pendragon que sua banda era a melhor de todas!

Olhou para os garotos ao lado do moreno e pôde ver Gwaine e Lancelot sustentando o sorriso cafajeste de sempre, e do outro lado Cenred, Merlin e Mordred, com um sorriso meio lerdo e um copo de suco de frutas que, provavelmente, havia sido seguido por outros e outros copos...

Morgana olhou para baixo, e tentou descer uma vez do balcão, mas tudo lá em baixo parecia girar. Recuou, e suspirou. Fechou os olhos. Abriu-os novamente e tentou mais uma vez descer. No entanto, seus reflexos estavam meio que lentos por conta do suco batizado. Sentou-se no balcão enquanto as outras ainda dançavam, ao som do DJ, que ressurgira das cinzas. Colocou um pé para fora deste, e com este gesto precipitado e "às cegas" desequilibrou-se, sendo amparada por um par de braços fortes.

O garoto que Morgana apenas vira de relance na festa, e que sua consciência fazia força para se lembrar, ajudou-a a descer, colando seus corpos nesta simples ação. A morena sorriu, e o olhou nos olhos, que eram de um negro abrasador. Mordeu o lábio inferior e soltou um risinho. O garoto também sorrira a ela, ficando mais junto a cada gesto afirmativo de Morgana. Ele então a envolveu pela cintura, e a morena sorrira maliciosamente. Logo estavam de lábios colados, num beijo quente.

— Morgana? - chamou a Sra. LeFay, incrédula com o comportamento da filha. - Meu bebê? Dançando em um bar? Beijando um garoto desconhecido? - a mais velha das LeFay sentiu o mundo rodar e só teve tempo de dizer: - Eu acho que vou desmaiar! - logo após tudo ficou escuro e sentiu que era carregada pelos braços do marido.

— Oh! Não é a Morg, e mal beijador? – perguntou Elena às amigas que se juntaram na observação.

— Por esse ângulo parece que ele aprendeu a beijar! - falou Sophia.

— Ah que droga! – lamentou-se Freya fazendo beicinho. – Que droga mesmo, perdi um carinha lindo! Mas também como eu iria adivinhar que ele aprendeu a beijar?

— YEAH! - exclamou Gwen vitoriosa - Eu sou uma ótima professora de beijos! Falem a verdade!

— Ah! Não espalhem isso, senão não vai sobrar ninguém pra gente, todos vão querer aprender com ela! – comentou Elena rindo.

Os Knights` gargalhavam ao ver o rosto sério de Arthur.

Como aquela... Aquela vocalistazinha se atreveu a beijar aquele babacão?

Se afastou dos colegas fumegando de raiva, mas não deixou de ver um último acontecimento da festa. Em cima do palco se encontrava Mordred, sem camisa e tentando parecer sexy ao tirar o cinto de sua calça.

Um coro de: " tira,tira,tira,tira!" era ouvido e quanto mais gritos, mais o garoto se animava.

A avó de Mordred não estava presente, pois se estivesse com certeza teria o mesmo destino desgostoso que a mãe de Morgana tivera. A Sra. LeFay estava sentada numa cadeira e era abanada pelo marido. A água proveniente dos registros de alarme, cessou, logo que algumas madames reclamaram, enquanto isso Arthur saia mal-humorado do salão. Nenhum dos amigos se atreveu a segui-lo, Arthur Pendragon duplamente enciumado, não era para qualquer um enfrentar. No entanto quem queria sair dali, com o showzinho de Mordred acontecendo a todo vapor?

— Vai lá Mordred! - gritou Merlin. - TIRA,TIRA,TIRA,TIRA! - ao ver o amigo começar a tirar as calças cantou de novo. - PÕE,PÕE,PÕE,PÕE!

Comentários da autora: Nossa,huahuahuahua,o q foi esse cap? Morg e as meninas dando um show, os pais de cada uma tendo um ataque de nervos( inventei alguns nomes para serem os pais dos restantes,ok?) Arthur morrendo de ciume de Morg e o ``mau beijador``,Lancelot do mau(adorei ver esse lado dele,hehehe...),Mordred querendo ser sexy(ta, o druida e fofinho demais, mas sexy ,só o Arthur,o Gwaine e o Lance são, Twisted Evil ).Logo logo tem mais,ate o próximo capitulo,XD !
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Guinevere Pendragon em Qui Dez 08, 2011 12:30 pm

Um ônibus acabara de estacionar no hall do Acqua Jump Resort Hotel e cinco garotas nada felizes saíam dele. Morgana usava uns óculos de sol, o qual somente usava quando queria analisar as pessoas ao redor sem ser percebida. Analisar! Essa era a palavra chave. Várias bandas concorriam e era necessário estudar cada um e descartar os fracos, sem deixar de se preparar para bater os mais fortes. Entretanto, seria uma prazer começar por uma banda chamada Knights. A morena desceu seguida por Elena que estava de maria chiquinhas nos cabelos loiros, a menina tinha um ar doce e angelical que não mostrava sua real força e vitalidade. Freya exibia seus cabelos soltos e estes balançavam ao vento, olhou ao redor e sorriu guardando a flauta que usara dentro do ônibus e observou bem o lugar que seria seu destino, seu e de suas amigas.Sophia tinha consigo todo o ar rebelde da banda trajando uma bandana preta que cobria os cabelos ruivos e trazia as baquetas nas mãos.Morgause, era das garotas a mais feminina, vestida com uma saia jeans e uma faixa prendendo a franja, parecia uma boneca de porcelana, e por fim Gwen com o boné de Merlin na cabeça, um estilo bem natural.
As garotas se olharam e sorriram orgulhosas. De agora em diante elas tinham o destino totalmente traçado e ele tinha endereço certo: Acqua Jump Resort Hotel!
Morgana tomou a frente do grupo, logo sendo seguida pelas amigas. O lugar apesar de giganstesco estava lotado de gente. Sons de risadas se confundiam com o de instrumentos musicais. Atravessaram então o espaço que as separava da recepção. Saiu com Gwen, deixando as outras a observar o lugar e vigiar as malas. Bens preciosos precisavam ser guardados.
Porém, algo inusitado ocorreu quando as duas chegaram à recepção. Dois nomes forão ouvidos ao mesmo tempo, deixando a recpcionista desorientada.
— KNIGHTS OF CAMELOT...
— PRINCESS OF AVALON!
Morgana olhara para o lado, e a pessoa que menos queria ver no mundo, estava olhando-a com um sorrisinho no canto dos lábios. A morena respirou fundo para nao sucumbir ali mesmo à raiva que começara a se manifestar dentro de si.
— HEI HEI HEI,vejam quem temos aqui! - Lancelot olhou as garotas de cima á baixo - Duas espécies raras: a morena assada, e a beijadora enlouquecida!
— Oh! Mas que sorte a nossa Gwen, os dois idiotas do ano! - retrucou Morgana tirando os óculos.
— Ohh! Morgs, lembra daquele suco que você bebeu na festa? - perguntou Gwen. - Acharam uma garrafa prateada ao lado do suco e ela continha digitais, sabe o marido da Nimueh, a organizadora do baile? - emendou recebendo um aceno afirmativo. - Pois bem ele é policial e está investigando! - a morena olhou nos olhos do loiro, quem sabe ele se denunciaria. - Tomara que achem o culpado! E eles acharão o culpado...
— É claro que acharão, e tomara que tomem providências quanto a este gatuno que gosta de batizar sucos! - falou a morena.
— Pare de inventar desculpas para a sua bebedeira LeFay... - Arthur Pendragon falara em um tom nunca visto pela morena, se aquele não fosse Arthur Pendragon, Morgana acreditaria que era um tom de um garoto enciumado.
— Bebedeira? Por acaso além de branquelo, também é surdo? Eu não tive culpa de ter álcool naquele suco, eu não gosto de bebidas alcóolicas! - respondeu ela irritada. - E... e por que estou lhe explicando, não te devo nenhuma satisfação!
— É...você não me deve nenhuma satisfação!- disse o loiro, com pesar.
— Não mesmo, então não se meta na minha vida, Pendragon! - resmungou encarando-o.
Um incrível silêncio reinou enquanto os dois morenos se encaravam, sendo imitados por Lancelot e Gwen. A recepcionista tossiu tentando acabar com o clima e chamar a atenção para o balcão.
— Então que banda vai se inscrever primeiro?- perguntou a loira, sorridente.
— A nossa! Princess of Avalon! - falou Morgana rapidamente.
— Não! - rosnou Arthur - Knights of Camelot!
— Oh! Não mesmo, chegamos primeiro. - protestou Lance. - E antes que digam algo, não somos mesmo cavalheiros...
— Disso eu não tenho o que duvidar, é só olhar pra sua cara de riquinho fresco que a gente percebe! - revidou a morena.
— Ha...ha... ela é tão engraçada! - falou sem emoção.
— Não foi uma piada! - a morena falou usando seu tom de voz mais sério.
— É, eu notei. Além de ser uma péssima guitarrista, você não leva jeito para comediante, Guinevere! - falou ele irônico.
— Qual é morena? Você acha mesmo que pode competir com a minha banda? - perguntou Arthur, recebendo um sorriso de apoio de Lancelot.
— Vocês chamam esse barulho que fazem de música?- indagou Gwen sorrindo. - Pois quando eu batia as panelas da minha mãe, eu era mil vezes melhor que o baterista de vocês. - Falou apontando Lancelot que perdeu o sorriso.
— Não é a toa que você toca guitarra Guinevere! – retrucou o belissimo moreno.
— Ai! querem parar de serem infantis, isto é um concurso sério, não sei como podem admitir patetas como vocês. - falou Morgana. - Então moça, pronta? Podemos nos cadastrar? - perguntou a mulher.
— Bem - começou a loirinha meio envergonhada - Há um pequeno probleminha...
— E que probleminha seria esse?- perguntou Morgana.
— Houve um erro de cálculo... - começou ela. - Vocês são as duas últimas bandas a se escreverem, e são da mesma cidade, então: temos duas bandas e somente uma casa! Mas a casa tem vários quartos e uma sala grande, outros cômodos maiores, fora a vista para a praia. E se vocês pudessem ficar na casa por um tempo até que conseguirmos resolver o problema, seria uma coisa da qual nos ajudaria muito! - a loira pediu com olhos suplicantes.
— O que? - indagaram juntos, os quatro.
— Não pode estar falando sério? - perguntou Lance, horrorizado. - Como podem cometer um erro desses? E vocês por que não se escreveram antes?
— Bem... É isso ou nós podemos devolver o dinheiro da inscrissão e da passagem de vocês, nós entendemos se vocês não quizerem participar!
— Ai mais que droga! - praguejou Morgana. - Não tem outro jeito? - perguntou e a moça negou.
— Precisamos reunir a banda!- Gwen ligou o celular e falou por dois segundos com uma das Princess, logo as meninas estava perto de Morgana.
Morgana ignorou os dois garotos que gesticulavam com a moça da recepção.
Neandertais! Pensou ela.
Virou-se para as amigas e suspirou.
— Temos um grande problema! - começou sem ânimo.
— Qual é Morgs, nós estamos aqui, na praia, cercadas por lindos gatos, o que poderia acontecer de tão ruim assim?- perguntou Morgause enquanto ajeitava a saia.
— É! Estamos no paraíso! - exclamou Freya, olhando para um loirinho mais a frente.
— Nem aqui os problemas de nossa existência; eles são chamados de: Knights of Camelot, nos deixam em paz! - falou Morgana.
— O que aconteceu? - perguntou Freya.
— Nós só poderemos participar se aceitarmos dividir a casa com os knights!- Gwen falou no ato - Inferno de vida!
— "Santa Margarida da Sapatilha Vitaminada" - suplicou Morgause, a mais um de suas santas. - Ajuda a gente a se desgrudar dessa rapazeada!
— Morgause,posso te perguntar uma coisa ? - perguntou Freya.
— Claro...
— Como você consegue rimar o nome dos santos e das frases? - questionou a morena.
— Não sei, é um dom!- a loira respondeu por fim.
— E a nossa maldição está vindo pra cá... - falou Elena se escondendo atrás de Gwen.
A morena esbugalhou os olhos ao ver o irmão na sua frente
— Vocês? – indagaram o grupo de rapazes e garotas ao mesmo tempo.
— Não acredito! – bradou Merlin. – Gwen, você não estava na casa da Freya?
— E você não estava na casa do...
— Não! Estou lá, sua burra! – zombou o moreno.
— O que estão fazendo aqui, "musiquinhos de quinta"? – perguntou Sophia.
— O mesmo que vocês, suponho, viemos competir! - falou Arthur olhando dentro dos olhos faiscantes de Morgana.
— Não, vieram nos perseguir isso sim! - exclamou Morgana.
— Estão se achando a última bolacha do pacote não é Princess? - sibilou Cenred.
— Vai te catar mane que parece que entrou numa maquina do tempo!- xingou Morgause.
— Sem retribuições de afeto por favor! - falou Cenred sarcástico. - Viemos até aqui para resolver nosso problema, podem ser civilizadas por uns minutos?
— Ótimo, ainda bem que alguém de vocês tem um cerébro que funciona! - falou Morgana. - Vamos direto ao assunto...
— O problema está solucionado, eu sei que nós vamos querer a casa! - Gwaine apontou para os Knights. -, e eu também sei que vocês... - Apontou para as Princess's. - Também querem a casa, ou seja nós vamos ter que dividir, e eu não ligo se vocês gostam de dormir nuas, ou de passear pela casa nuas, na real desde de que estejam nuas está tudo certo!
— Ai céus! - exlamou Freya.- Diga que isso é um pesadelo e logo acordaremos. Não me façam ter que conviver com esses... esses tarados!
— Querida isso não é pesadelo, confessem era o sonho de vocês... - comentou Lancelot.
— Merlin, eu nunca gostei tanto da sua presença aqui como hoje! - Gwen falou colocando a mão nos ombros do irmão.
— Porque Gwen?- perguntou o moreno confuso. - Você nunca gostou da minha presença!
— Oh! Será bom, porque com o seu ciúme possesivo você vai me proteger das mãos pecaminosas desse moreno insuportável!
— E quem disse que eu iria colocar minhas mãos habilidosas em você Guinevere? Cresça e apareça, garota! - retrucou Lancelot.
— Hummm! - a morena colocou a mão no queixo figindo estar pensativa. - Talvez o cara que disse que eu ficava gostosa no vestidinho que eu comprei e ahh...! - ela ficou na ponta dos pés e falou algo no ouvido do moreno alto, algo que deixou o garoto vermelho como nunca antes algum dos knights havia visto. - E por isso também...
— Já chega! Não vamos nos demorar, nem levar mais para o lado pessoal. - interviu Morgana. - Então, velhotes, já vão desistir?
— Porque ela sempre nos chama disso? - indagou Mordred a Merlin.
— Porque depois que ela namorou o velhote do Agravaine, todos os homens parecem velhinhos!- respondeu Merlin, gargalhando.
— Oras não seja mais ridículo Merlin, essa resposta é bem simples: porque vocês são o atraso da nossa civilização! Mas ainda nao me responderam! - falou Morgana fitando os meninos.
— Olha, as incrições acabam daqui a... - a loira da recepção, olhou no relógio e disse. - 10 minutos, vocês aceitam ou não?
— Que coisa, olha a pressão psicologica! - falou Freya.
— Não é pressão, é só uma advertência,- a loira sorriu e olhou no relógio mais uma vez - agora vocês tem 8 minutos!
— Que terror! - exclamou Elena. - Quando pensei que iria me livrar de morar com o Arthur sobre o mesmo teto, me vem essa!
— O que faremos? - perguntou Morgana às meninas.
— ACEITAMOS! - gritou Sophia que até então estava em silêncio a par da confusão.
— Aceitamos? - indagou Freya confusa.
— Aceitaram? - indagou Lancelot logo em seguida.
— Sim, aceitamos! - respondeu por fim Sophia. - Onde eu posso colocar as malas?
— Sophia! - ralhou Morgana.- Ainda não pensamos direito...
— Não há tempo pra pensar Morgana, e nem pra deixar essa chance escapar... - voltou-se para a recepcionista. - Nós somos as Princess of Avalon, nossos nomes são: Guinevere''Gwen'',Freya, Sophia, sou eu! Morgana LeFay, Morgause e Elena Pendragon. - dizia a garota enquanto a recepcionista anotava tudo em seu sistema de computador.
— Argh! Tudo bem, eu faço esse sacrificio! - concordou a morena.
— Você aceitou?- perguntou Arthur, incrédulo. - Pois nós também aceitamos. Knights of Camelot, nossos nomes são: Arthur Pendragon, Lancelot DuLac, Cenred, Merlin, Mordred e Gwaine!
— É... e nós também faremos esse sacríficio... - afirmou Freya.
— É não tem outro jeito... - disse Elena, desviando os olhos de Gwaine.
— E que fique bem claro, faremos uma divisão na casa, e nas tarefas. - falou Morgana.- Não gostamos nada de bagunça! - acrescentou.
— Ahh que saco! Saí de casa, crente, crente que não teria que receber ordens e achei outra pessoa igual a mamãe por aqui... - resmungou Merlin, sendo apoiado pelos amigos.
— Vai se acostumando... - sussurrou Freya a ele.
— Depois só piora! - cochichou Sophia, seguida das gargalhadas de Freya e Morgause.
— Eu ouvi isso! - falou Morgana, colocando os óculos de sol novamente. - Bem, já que tudo está resolvido, eu já vou indo.
— Ela tem um ouvido bom também... - falou Elena, pronta para seguir a amiga.
— Oh, sejam bem vindos!- a loirinha falou para os dois grupos. - Casa 9, a casa dos ventos, aqui no Acqua todas as casas tem um nome. - acrescentou entregando a chave a Morgana.
— Pois com os Knights junto de nós, vai ser: casa de merda, mesmo! - resmungou Gwen.
— Nós também temos ouvidos bons! - falou Cenred que fora seguido por Neville.
— Sério? - replicou Gwen. - Pois saiba de uma coisa velhote, eu falei e volto a falar: com vocês as coisas vão ser uma merda!
— Nossa! Que coincidência, estava pensando a mesma coisa sobre conviver com vocês! - falou Lancelot. - Vamos logo pessoal, vamos deixá-las com os piores quartos!
— Sophia? Lembra daquela vez que nós corremos e derrubamos o Merlin pra chegar em casa primeiro? - perguntou a morena.
— Claro, foi engraçado. - recordou-se a ruiva, rindo
— Pois vamos fazer o mesmo? No três... - a morena respirou iniciando a contagem - um...dois... e três! - as garotas jogaram o moreno para cima dos colegas de banda e saíram correndo.
Os cinco caíram um em cima do outro. Arthur, que fora esperto desvencilhou-se e pôs-se a rir.
— Mordred! Quer tirar essa bunda fedida da minha cara? - resmungou Lancelot, enjoado.
— Enquanto vocês ficam rindo, elas estão pengando os melhores quartos... - lembrou Gwaine. - Corram seus idiotas!
— Desculpe Lance... - murmurou o garoto tentando se levantar. No ato, apoiara-se na cabeça de Merlin, que gemeu.
— Ei! - o moreno gemeu - Isso dói!
— É verdade, então tratem de se mexer! - falou Cendred.
— Desculpe também Merlin... mas sua cabeça era a única coisa grande em que podia me apoiar! - respondeu ele.
— Vai te catar estômago de porco, eu sou o cabeça grande e você o bunda fedida, grande dupla!- retrucou o moreno.
— Caraca! Cadê minha câmera? - zombou Lancelot. - Mordred curtiu com a cara do Merlin! Isso é surpreendente...
— É mais eu sei me defender! - concluiu o moreno.
— Alô! As mocinhas querem parar de brigar? - ralhou Cenred e Arthur abafou uma risada.
— Calma gente, vamos cantar uma música pra animar... - começou a cantarolar Gwaine. - HA HA HU HU... Arthur Pendragon eu vou comer seu... bolo! - o knight se calou, mediante ao olhar reprovador do amigo. - Ohh! Não gostou dessa? - perguntou marotamente. - Então aqui vai outra: A chuva cai a rua inunda oArthur Pendragon eu vou comer ... seu bolo de novo!
— Não sei qual de vocês é o mais lesado! - murmurou Cenred - Se quiserem ficar aqui, fiquem, eu já tô indo!
— Ahh é? - começou Arthur entrando na brincadeira. - Pois eu também tenho uma música Gwaine, e é assim: olê lê lê, olá lá cala a boca Gwaine pois se não vou te capar!
— Concordo com o Cenred, eu também já vou indo, não quero ficar instalado no banheiro, ainda mais tendo o Mordred por perto! - falou Lancelot deixando os amigos.
— Pensando nesse ângulo, eu também vou com vocês! - Merlin começou a correr.
Todos então correram, literalmente, até a casa de número 9.
— Santa barata de cabelo de mosquita... - Morgause falou mais um nome de suas "santas" ao ver a casa. - essa casa é muito bonita!
— É sim. Formidável! - concordou Freya sorridente.
Elas haviam entrado, e Morgana e Elena já haviam escolhido um quarto para ambas dividirem. Pois as contas que a morena fizera, teriam que dividir. Tudo por culpa daqueles idiotas. Sophia e Gwen dividiam um quarto, enquanto Freya e Morgause dividiriam outro.
Todos eles no corredor norte da casa, onde já denominavam seu espaço.
Após ajeitarem suas coisas foram para a sala, a fim de esperar os companheiros de moradia. Elas riam do tombo comunitário, quando Cenred apareceu no lugar.
— Ah! Eu perdi isso? - lamentou-se Elena entre risos. - Que droga!
— Gwen! Foi um chute certeiro, o Merlin caiu como banana podre! - Sophia falou apertando a mão da amiga orgulhosamente.
— Pois ele é um banana podre!- a morena completou rindo.
— Coitado, gente! - falou Freya.
— A Freya gosta de banana... - zuou Sophia.
— Cala a boca! - falou jogando uma almofada na cabeça da amiga.
— Nossa eu tô muito cansado - Falou Merlin atraindo para si a atenção das meninas, se jogou no sofá e deu uma coçada básica nas partes baixas.
Mau acabava de chegar e Arthur tirou a camisa suja de suor devido a corrida e sem nenhum pudor jogou em cima da mochila de Morgana. A morena ergueu a sobrancelha. Tanto o fato de ele estar sem camisa, e o fato desta estar fedida e em cima da sua mochila, a incomodava. Gwaine nem havia tomado banho, e já havia se jogado na piscina deixando a sujeira sair na água clara da mesma. Mediante a situação, Morgana murmurou algo e em minutos ela e Sophia estavam na cozinha.
— Sophia, eu tô prevendo uma catástrofe, e das grandes! - falou ela.
— O que houve?- perguntou Sophia vendo Gwen e Morgause subirem as escadas para trocar de roupa.
— O que houve? O que ainda vai acontecer! Eu não vou conseguir ficar com eles aqui! - reclamou a morena.
— Não é tão ruim assim, temos uma piscina enorme, quartos lindos, uma TV enorme, uma área com jogos e um lugar pra eu treinar boxe! - respondeu Sophia feliz.
— Nem tudo isso vai compensar... - murmurou Morgana.
— Relaxa guria!- Sophia falava enquanto abria a geladeira.
Morgana revirou os olhos e suspirou fundo. Olhou para Sophia, que estava a caminho da sala de novo, onde ouvira risadas longas. A morena então saiu da cozinha e em vez de seguir a amiga, decidiu tomar um rumo diferente e bem distante da algazarra. Odiava bagunça, e aquele lugar estava infestado dela. Logo virou o corredor arejado, e fora para os fundos da casa.
— Uhuuu! Piscina! - gritou Gwen, se jogando na água já de biquini.
— Fundos da casa, não mesmo! - falou a si mesma, dando meia volta.
Avistou então sua salvação, a lavanderia. Ninguém iria estar lá. Caminhou então rapidamente, e entrou.
Uma verdadeira bagunça estava se formando na piscina e a última coisa no mundo que Arthur queria, era ouvir todo o barulho. Mal conseguia ouvir seus próprios pensamentos! Sua cabeça estava uma bagunça, e tentava de todas as formas colocar uma linha de raciocinio em seus pensamentos, mas a única coisa que havia neles era um nome.
O nome que o perturbava todas as noites, após aquele maldito baile, depois daquele maldito show.
Morgana LeFay!
O garoto se afastou do grupo antes que a água chegasse muito perto de seu corpo e então viu um lugar sossegado, como não havia pensado antes? A lavanderia seria o lugar perfeito para ficar queito e sem ninguém para atrapalhar seus pensamentos.
Abriu a porta e avistou quem menos queria ver no momento. Morgana estava de costas, e olhando para a paisagem além da janela. Antes passar despercebido pela morena para que não houvesse nenhuma briga, pelo menos por hoje, foi suspreendido ao tentar abrir a porta e não conseguir.
"Maldita maçaneta!"
Ela virou-se bruscamente, e surpreendeu-se igualmente.
— O que está fazendo aqui? - perguntou, já começando a se alterar. Parecia que era somente avistar o loiro, que a raiva, pelo menos era o que ela pensava, vinha a atormentar-lhe.
— Acho que o mesmo que você, tentando achar um lugar pra pensar... - o loiro suspirou cansado, e tentou acabar com uma eminente briga. - Olha, nós estamos trancados, a maçaneta está emperrada então nós vamos ter que ficar aqui até que alguém sinta a nossa falta, então será que podemos conversar como gente, durante esse tempo?
— Oh! Você pensa? - indagou sarcástica. - Eu não estou a fim de conversar, se estou aqui é por que queria ficar sozinha! E que droga, tinha que ficar aqui... estamos presos?
— Quer saber... - começou o loiro, estressado. - Eu não pedi pra ficar aqui, eu não pedi pra conhecer você e eu não pedi pra me sentir como eu me sinto! - o garoto sentou-se no chão da lavanderia e puxou os cabelos, os deixando ainda mais rebeldes. - Mas eu estou aqui, eu te conheço e eu estou sentindo isso...
— Ficou doido? Ah! Já sei, é mais uma brincadeirinha? - perguntou rindo nervosa.
— Eu nunca falei tão sério! - exclamou com cara de poucos amigos, mas ainda sem encarar a morena.
— Falou tão sério sobre o que? - questionou.
— Sobre tudo, sobre essa briga doida que a gente tem, sobre você beijar um carinha depois de ficar "bebaça" em uma festa e de nós dois!
Morgana arregalou os olhos. Ele parecia estar sendo sincero, e nunca em sua vida imaginou presenciar isto. Abriu a boca umas diversas vezes, mas não consiguira pronunciar nada. Seu estado era catatônico.
— Eu... eu não sei o que dizer! - respondeu por fim, arrancando um sorriso do loiro.
— Morgana LeFay sem palavras? - o loiro sorriu de um modo que fez o coração de Morgana pular estanhamente. - Bem eu acho que consegui um milagre!
— Bem... eu... não é um milagre. Mas raramente conseguem isso.
— Meu reino por um sorriso seu! - exclamou o loiro, galante.
— Isso também raramente conseguem! - disse tantando ser ríspida.
— Então... O mundo pelo seu coração. - Arthur concluiu baixinho, mas os ouvidos apurados da morena conseguiram captar a frase.
Morgana respirava com dificuldade. E também tinha dificuldades em encará-lo. Na verdade tinha medo! Engoliu em seco, como queria que alguém viesse procurá-la!
— Queria que pudessemos voltar no tempo, queria ser seu amigo... - o loiro sorriu, e baixou o olhar - , queria ser mais que amigo...
— Não... não queria nada! - falou ela, rapidamente.
— Você tem medo Morgana, pois você tem medo de trair os seus "ideais"! - o loiro levantou-se e foi ao encontro da garota - Pois eu não tenho medo.
— Então o problema é seu! - exclamou ela, aproximando-se da porta e tentando mais uma vez abrí-la. Seus esforços eram totalmente inúteis, mas queria sair depressa dali, antes que os tais ideiais fossem por água a baixo. - E... eu não tenho medo... - murmurou ainda.
— Não tem medo? Mesmo? - o loiro ficou de frente para a garota e colocou os braços ao redor de sua cintura. - Então prove Morgana.
— Quer parar de bancar o engraçadinho? Acho que pegou muito sol na cabeça! - ralhou ela, acuada.
— Você é uma muralha de gelo,Morgana LeFay... - Arthur passou a mãos pelos cabelos da morena, lentamente e ela suspirou. - Mas até mesmo o gelo pode ser derretido, não é? É só uma questão de paciência e adivinhe...? Eu sou muito paciente.
— Que bom... que bom pra você... - falou quase num sussurro.
"Ai Céus! E o pior é que estou quase derretendo mesmo!"
O loiro chegou mas perto da garota, se é que isso fosse possível, olhos nos olhos da morena e...
— Arthur! - Gritou Gwaine da porta - Eu sabia que você estava em perigo, você poderia morrer desidratado, e pelo visto estava quase morrendo, porque estava tentando se salvar na saliva alheia... - o knight brincalhão deu um olhar sugestivo para Morgana e depois voltou a olhar para o amigo. - Interrompi alguma coisa?
A única que estava morrendo ali era Morgana, morrendo de vontade de atacar Arthur. Morgana pigarreou, saindo do transe. Percebeu que suas bochechas ardiam, e deveriam estar escarlates. Respirou fundo e encarou os dois garotos.
— Bem, é claro que não interrompeu nada! - afirmou a morena. - Imagina... - emendou e riu nervosa. - O que poderia ter interrompido?
— Talvez o maior amasso de todos os tempos! - respondeu o knight - Mas a vida é de vocês quem sou eu pra falar algo, na próxima tentem avisar antes de sair em disparada, é só uma dica... - O moreno piscou para os dois e foi embora.
— Idiota! Ele é um imbecil... - murmurou nervosa.

Morgana foi de encontro as Princess's, que descansavam na beira da piscina. Ainda sentia todo o torpor de ter Arthur tão perto de si. Sentia-se prestes a explodir, e se desprezava por isso!
— Ai minha santinha "Padiciça", essa vida é uma maravilha! - exclamava Morgause, enquanto tomava água com um leve toque de limão.
—Põe maravilha nisso! - exclamou Elena. - Podia ser mais perfeito, mas fazer o que?
—Morgause, muito obrigada, isso é tudo o que eu pedi a Deus, acho que a sua fé nas santas serviu pra alguma coisa.- Sophia vinha falando com uma carta nas mãos.
— Concordo, foi de mais valia que minhas fadinhas e duendes... - comentou Freya a esmo.
— Dá pra desembuchar logo o porque de tanta alegria? - Perguntou Gwen no auge da curiosidade.
— Alegria? Quem está alegre por aqui? - indagou Morgana irritada se juntando a elas.
— Acabamos de formar um novo grupo, entitulado: Põe fé na santa que adianta!- resmungou Gwen ainda, curiosa.
— Que ridiculo! - falou a morena a esmo, não conseguindo tirando os olhos de Arthur que atravessava para o outro lado com Gwaine.
— O bichindo mau humor picou alguém... - Cantarolou Sophia.
— É... picou sim! - disse Elena, e Morgana revirou os olhos.
— Nenhum bichinho me mordeu, eu vou pro quarto, estou cansada dessa bagunça! - falou e deixou as amigas.
— Eu aposto que o bichinho é parente da Elena! - exclamou Gwen, olhando na direção dos garotos.
— Ah e eu também aposto! Um parente bem próximo... - comentou Freya, rindo.
— Olha dá pra alguém me falar o que diabos está escrito nessa carta?- a morena perguntou estressada enquanto via os meninos se aproximarem também com uma carta em mãos.
— Eles sabem ler? - perguntou Nicole, arrancando risadas das amigas
— Ahh! Gente, tadinhos... - Pansy falou com pena dos garotos e para a confusão geral das amigas, que nunca haviam visto essa faceta da menina. Então ficaram boquiabertas. — Que foi? Os brutos também amam. - As outras riram ainda mais.
— Sim, e os brutos são aqueles que possuem os corações mais moles... - falou Freya.
— Então a Freya e a Elena são brutas? - indagou Gwen.
— Já chega de falarmos nisso, estou muito curiosa para saber o que tanto eles sorriem. Os desenhos devem ser bonitinhos! - falou Elena.
— Então, o que é isso, Sophia? - perguntou Freya educadamente.
— É um convite para um baile de máscaras que vai dar início ao concurso. - Sophia falou, sorridente.
— Beleza! - entoaram juntas.
— Esse negócio de falar todo mundo junto está me enchendo!- concluiu Sophia.
— Ai... o bicinho do mau-humor já te mordeu também? - perguntou Elena divertida.
— Ele não mordeu! - Gwen riu, e completou - Ele é amigo de longa data dela!
— Ah! Um baile de máscaras, vai ser super ultra mega legal! - exclamou Freya. - Vou agora mesmo providenciar tudo, vem comigo Lena?
— Mas é claro, vocês não vem? - perguntou às outras.
— Eu vou mas tarde. - Gwen respondeu. - Vou dar uma chegada no quarto da Morgs, ela não parecia estar legal!
— Sim, ela parecia mesmo mal. Então você vai lá ver o que está acontecendo, que nós ficamos encarregadas do visual de todas! - sugeriu Elena.
— Quero uma fantasia bem no meu estilo Lena! - a morena piscou para as amigas e subiu as escadas indo de encontro ao quarto de Morgana.
A morena então batera na porta, mas a amiga não respondera. Como o silêncio era um sinal de consentimento, entrou. Morgana estava sentada numa poltrona vermelha e olhava para o nada. Com os fones no ouvido, parecia estar passeando em outro mundo.
— Olá senhorita "eu - estou - chateada - me - deixem - em - paz!" - brincou a morena.
— Oi... - falou tirando os fones dos ouvidos.
— Ok, eu sei que eu não sou sentimentalista como a Elena, nem tenho tanta fé nas santas como a Morgause ou nos duendes como a Freya,mas sei que a minha amiga precisa de ajuda. - a morena sorriu e se jogou na confortável cama de Morgana. - O que houve?
— Nada, por que acha que houve alguma coisa? - desconversou olhando para o Ipod em suas mãos.
— Morgana LeFay e Arthur Pendragon somem de vista, depois de um tempo Gwaine percebe e vai procurar os dois, logo em seguida os três voltam sendo que Arthur Pendragon tem um fisionomia triste no rosto, Gwaine o sorriso maroto de sempre e inacreditavelmente Morgana LeFay se encontra corada! - a menina respirou, e continuou a conversa. - Não tente esconder de mim, você pode até não querer falar mas isso vai fazer você se sentir melhor!
— Caramba Gwen! - exclamou Morgana. - Essa historinha é bem interessante, e tem um pouco de verdade... na realidade, é totalmente veridica! Bem... Arthur e eu ficamos presos na lavanderia... e ... ele por pouco não me beija!
— O que?- a morena caiu da cama e se levantou rapidamente ajeitando as vestes. - Nossa!
— É... Nossa! - exclamou a outra morena suspirando.
— Ok! - a morena se recuperou do susto e voltou a postura original. - E nesse tempo em que vocês quase se beijaram,o que você sentiu?
Morgana desviou os olhos. Ai Céus! Nem ela mesma sabia o que tinha sentido, somente que fora forte e... intenso? Mas não poderia dizer isso a Gwen, era sua amiga, mas preferia guardar aquilo só para si. Tanto os sentimentos quanto as palavras dele. Foram tão sinceras e apaixonadas... O que? Apaixonadas? Ah não...!
— Bem... então qual é o problema? Porque essa cara de peixe morto se você não liga pra ele? Esquece o Arthur e se liga na nossa chance de alcançar o estrelato. Ahh! Eu já te falei da festa?- perguntou a morena, mudando o rumo da conversa.
— Que festa? - indagou fazendo-se de interessada. Finalmente um assunto que poderia fazer com que tirasse Arthur de seus pensamentos.
— Acabamos de receber um convite, parece que vai haver um baile de máscaras, para que todos se conheçam, vai ser bem legal! - a morena suspirou e riu sozinha - Você já deu uma olhada nos gatos? - perguntou, e Morgana esboçou um sorrisinho. - Pois eu dei e o negócio vai ser muito bom!
— Que ótimo, preciso me distrair... - falou a esmo, e Gwen franziu a testa. - Bem... é o nervosismo, por conta do concurso...
— Sei... que tal descer e dar uma olhada no que as meninas estão aprontando?
— Não... acho que ainda vou ficar por aqui... - falou encolhendo-se na poltrona.
— Qual é Morgs? Sai dessa! - a morena comentou e continuou. - Pelos poderes das santas mais doidas e maneiras tirem a Morgana dessa cadeira! - A morena riu, e olhou a amiga.
— Baixou o espirito da Morgause em você? - perguntou ainda estampando um riso.
— Situações desesperadas, pedem medidas desesperadas! - afirmou a morena. - Vamos logo com isso, as meninas nos aguardam!
— Ah! Gwen... Não! - resmungou Morgana.
— Eu posso ficar nisso a noite toda então lá vai... Santa Maria da Prédio, tire a Morgs do tédio! São João do Umbigo ,que ela desça comigo! - a outra morena fez menção de sair. - Santa... você quer mesmo continuar com isso?
—Já chega, eu desço com você! - exclamou a morena. Ela então se levantou devagar.
Seria tão dificil assim ter que vê-lo? Sim, seria!
— E a vencedora! Guinevere!- brincou a menina fazendo sinais de agradecimento. A morena riu.
— Está bem vamos logo, antes que eu mude de idéia!
Ao descerem avistaram Morgause, Freya, Elena e Sophia cantando uma música qualquer que tocava no rádio. Logo a porta da sala se abrira de súbito, e por ela entraram Gwaine e Merlin trazendo umas grandes caixas. Gwaine jogou a caixa no chão e se jogou no sofá se abanando.
— Nossa! Eu estou muito cansado, me faz uma massagem, Lena? - perguntou o knight. -, pra aliviar a dor?
— Não! - respondeu tentando não sorrir.
— Eu posso aceitar isso e meu corração continua aberto!
— Que bom pra você... - respondeu novamente e não se conteve, e sorriu.
— Seu sorriso me faz feliz, princesa! - o moreno cochichou no ouvido da mais nova dos Pendragons, que se pôs a sorrir.
— É melhor parar com isso Gwaine, meu irmão não está nos seus melhores dias... - avisou a loira, dando uma piscadela a ele. - E o que é isso que trouxeram?
— Fantasias, o Gwaine escolheu todas, ou seja cuidado pois pode conter algo altamente destrutível - se intrometeu Merlin.
— O que? Ele escolheu nossas fantasias? Está brincando! - falou Freya. - Com que direito?
— Calma,moreninha maluquinha, eu tenho certeza que vocês vão amar!- sorriu e saiu do campo de vista das meninas sendo seguido por Merlin.
— Duvido! - murmurou ela seguindo eles. - Tenho que ver isso de perto!
As meninas começaram a procurar no meio da caixa algo que tivesse a ver com o estilo de cada uma e ficaram chocadas ao perceber que Gwaine tinha feito a escolha certa!
A noite caíra rapidamente, e na casa de número 9 do Acqua Jump o ritmo era frenético. Os meninos há tempos já se aprontaram e alguns já tinham partido na frente. Enquanto alguns: Gwaine, Merlin e Arthur, ficaram e lamentavam-se por isso.
Santo Deus! Porque as mulheres tinham que demorar tanto em suas arrumações?
— Gwen! - gritou Merlin. - Dá pra você ir logo com isso?
— Vai peidar na água e fazer bolinha, Merlin! - a morena gritou do quarto. - Se quiser pode ir embora!
— Ok, nós vamos indo! - o moreno de mau humor puxou Arthur e se foi pela porta.
Gwaine ficara na sala, alegando ter como missão levar as garotas até a festa sãs e salvas. Esparramou-se no sofá ajeitando sua capa preta de vampiro(N/A:Sexy, Twisted Evil ! Imaginem o Gwaine de vampiro?). Ouvia os murmúrios das meninas, pareciam distantes, mas estavam muito perto dele. Que viajava imaginando o que fazer para chegar mais perto de Elena sem que Arthur o estrangulasse. Devido ao tédio o menino começou a cantar
— Eu estou apaixonado, carente de amor desesperado... Nossa eu estou cantando música sertaneja, melhor parar!
— É melhor parar mesmo, ou senão cravarei uma estaca nesse seu coração! - exclamou Elena descendo as escadas com Freya ao seu lado.
— Nossa Elena você está tão meiga! - Babou vendo a roupa de bailarina que ele mesmo havia escolhido pra ela. - e Freya você está tão..tão cigana misteriosa! - murmurou o moreno olhando nos olhos de Elena.
— Nossa, você está tão vampiro pálido... - brincou a morena. - Falando sério Gwaine, você tem bom gosto, eu adorei a fantasia!
— É! Tenho que admitir... você usou seu dom com as mulheres para escolher nossas fantasias, e isso me surpreendeu. - admitiu Elena. - E... bem... sua fantasia está ótima também... - As meninas riram.
— Eu faço que posso! - falou olhando para cima e vendo Morgause e Sophia na escada.
Logo depois Morgana e Gwen desciam, ele então não pode conter a excitação. Estava sozinho com tantas garotas lindas! Era mesmo sortudo por ter paciência.
Caramba, jurava que Sophia ficaria com a de coelhinha. Mas a fantasia até que caira muito bem em Gwen.
— Eu prefiri a Cleopátra, tem muito mais a minha cara! - Falou Sophia orgulhosa. - E Gwen quase me bateu pra ficar com a de coelhinha!
Sua fantasia era mesmo deslumbrante, digna de uma rainha. O vestido branco de cetim reluzia com os detalhes azuis e os cabelos ruivos da garota(agora com uma peruca negra) por baixo do enfeite dourado que ornava sua cabeça. Gwaine sorriu, realmente morrera e estava no paraíso das garotas.
— Ai Morgs, cuidado com essa asa! - resmungou Freya, quando a morena virara-se de repente.
— Desculpe... - falou ela. - Essa coisa está me incomodando! Acho que até o fim da festa eu me livro dela.
— Ótimo, eu sou cigana, mas ainda não consigo prever nada! - comentou a morena e as duas riram.
— Que tal acabarmos de falar quando chegarmso na festa! - sugeriu Gwen.
— Concordo com a coelhinha, vamos para a festa, garotas! - Gwaine esboçou seu melhor sorriso e abriu a porta como cavalheiro para as meninas.
— Certo... Vamos nessa! Estou tão empolgada! - exclamou Elena.

— Minha santa do coqueiro... - exclamou Morgause - Quanto gato solteiro!
A loira arrancou risadas das amigas, e um olhar nada amistoso de Gwaine. O salão de festas do resort era gigantesco. E apesar de um pouco escuro notaram haver muita gente. Os concorrentes do concurso, começavam a se animar mostrando o qual a festa seria divertida e não necessitaria de nada para que esta fizesse sucesso. Mais a frente estavam Merlin, com sua fantasia de cavaleiro Jedi(N/A:Que fofinho*-*). Lancelot, com a sua de pirata clássico.
— Nossa que corpo, que graça, que pernas! - Merlin falava e babava por uma loirinha no bar. - Ei doçura vem sentar aqui com o papai!
— A doçura aqui é espada babacão! - exclamou o homem com a voz mais grossa que Mer já tinha ouvido.
— Ok, seu doce! - falou baixinho quase se escondendo embaixo da mesa.
— Uau! Essa festa está cheia de gatas! - exclamou Lancelot a Arthur que estava encostado no balcão do bar, olhando intensamente para Morgana que estava sendo ajudada por Elena a ajeitar as asas de sua fantasia.
— Nossa aquela coelhinha está me chamando, ela é gata, ela é gostosa, ela tem lindas pernas, ela... -Mer foi interrompido por Gwaine.
— Ela é a sua irmã idiota!
— Caraca Merlin! Arranje uns óculos para você... daqui a pouco você agarra um de nós por engano! - zombou Cenred.
— Pois não preciso de óculos! Eu preciso é encher a Gwen de pancada, quem ela pensa que é pra usar aquela roupa?- perguntou aos amigos
— Uma gostosa? - tentou Lancelot, respirando fundo e tomando a bebida num gole só.
— Seu filho da...! - o moreno não completou a frase, e saiu correndo ao encontro de Gwen, precisava colocar algo nela, ela estava praticamente nua.
Os amigos gargalharam vendo-o seguir direto para a irmã e agarrá-la pelo braço, assustando-a.
— Guinevere, o que está fazendo com essa roupa indecente? Parece que saiu da capa da Playboy edição especial! - berrou o moreno.
— Jura?- perguntou a menina vendo os Knights no encalço de Merlin. - Garotos eu estou bem? - perguntou para mexer mais ainda com o humor do irmão.
— Não brinque comigo, garota! - exclamou ele impaciente. - Imagina quando o papai souber que a filhinha dele anda se exibindo com estes trajes, sendo que deveria estar na casa da Freya rezando! Hum? - chantageou ele e Gwen bufou.
— Eu não estou me exibindo, na verdade exibição é o barraco que você está fazendo! - respondeu a morena, começando a ficar com raiva do irmão. - Ahh e se o papai souber que eu não estou na casa da Freya, também saberá que você não está na casa do Lancelot.
— Ótimo, não tem problema, acho que o papai não tem nada contra eu estar aqui, já você... - retrucou sorrindo.
— A mamãe sempre me apoiará e você sabe muito bem que a palavra final vem dela! - a morena respirou tentando se acalmar e continuou - Agora eu acho melhor você me deixar em paz, antes que eu ligue pra ela, e aconteça o mesmo que aconteceu naquela vez que você implicou com uma blusa minha.
— Gwen! - berrou ele. - Você não pode ficar com essa roupa, o que ela tem de mais comprido são as orelhas! Eu vou matar o Gwaine por ter escolhido isso para colocar naquela caixa maldita!
— Eu não escolhi nada, na verdade eu somente coloquei como opção... - se defendeu o Knight.
— Cala a boca, mané! Se o Arthur não matá-lo hoje, eu mesmo vou matar! Vou matar todo mundo! - falava ele em tom alto.
— Vai matar com seu sabre de luz? Interessante...! - falou Cenred.
Arthur olhava tudo sem o mínimo interresse, estava acostumado com os ataques de ciúmes de Merlin, olhou ao seu redor e viu uma linda Anja se sentando em uma balanço na parte de fora da festa, e ela parecia querer chorar a qualquer momento.Seu coração deu um pulo ao ver que Morgana estava chorando e mesmo que levasse um fora iria conversar com a morena. Saber o que estava acontecendo! Viu seu reflexo na mesa das bebidas e por um momento havia esquecido da máscara que ocultava seu rosto, era perfeito! Morgana nunca teria reservas de conversar com um novo amigo e esse novo amigo seria ele. Ajeitou o chapéu e a máscara, e saiu correndo de encontro ao que poderia ser sua noite perfeita.
— Anjas não choram, pois o choro é sinal de tristeza e a tristeza não combina com a perfeição das ninfas... - o mascarado sorriu e sentou ao seu lado no balanço. - Não chore quando há tantas pessoas que te querem bem.

Eu não quero que esse momento um dia acabe
Onde tudo é nada sem você
Eu esperarei aqui para sempre só para, para ver você sorrir
Porque é verdade: eu não sou nada sem você

— As anjas podem ser perfeitas, mas eu não sou uma. - falou tristonha. - É somente mais um de meus disfarces...
— Sabe... Há pessoas que tem rostos de nanjas, são belas e atraem a atenção de todos, mas você tem o coração de uma anjinha, um orgão tão puro e pequeno que alguns magoam e quebram com facilidade, então não diga que não é uma anja! Pois o seu coração pertence a mais bonita das criaturas. - explicou o mascarado(N/A:Ai,Arthurzinho...pq vc tem q ser tão sexy,fofo?).

Através disso tudo, eu cometi meus erros
Eu tropecei e caí, mas eu quero dizer essas palavras

Morgana corou, diante de tão belas palavras. Aquele mascarado lhe era familiar, mas não conseguia distinguir suas feições, muito menos a voz carinhosa. Sorriu sem jeito, e apertou as asas ,que eram enormes,cobertas com algodão branco, o qual descansava em seu colo.
— Nossa... - murmurou ela. - Você é bem poético... - emendou dando uma risadinha nervosa.
— Mas qual o motivo do choro da minha anja? - perguntou começando a se balançar ao lado da morena.
— O pior é que nem sei... apenas me deu vontade de chorar, eu acho que foi isso! - respondeu limpando algumas lágrimas remanescentes, tentando não borrar ainda mais a maquiagem.
— Uma vez me contaram uma lenda, sobre uma menina que chorava por um amor impossível... - começou a narrar tendo total atenção da morena - Ela era uma princesa, filha do deus do sol e por coincidência, ou por acaso do destino, se apaixonou pelo deus dos mares, mas ela não podia ficar com seu amado. Por medo da opinião de seu pai, medo de não ser aceita por seu povo e a única maneira de mostar seu amor ao deus dos mares eram as suas lágrimas, cada lágrima pingava como gota nos mares...
— Que história bonita... - murmurou ela, abaixando os olhos.
— Até que um dia ela decidiu correr o risco, fazer valer a pena, esquecer dos outros e ser feliz! Ela percebeu que as lágrimas dela não eram de nenhuma serventia, seu coração continuava destroçado e longe dele! - O loiro parou e olhou nos olhos de Morgana. - Então ela deixou a posição de honra como filha do deus sol e fugiu com o deus dos mares, pouco tempo depois ela recebeu a notícia que seu pai estava adoecendo e foi ao seu encontro. Descobriu ser apenas um pretexto de seu pai para vê-la e descobriu também que ele em nada se importava com sua fuga e sua paixão pelo deus dos mares. Ele queria a felicidade dela acima de tudo... - Arthur parou de contar e se voltou para ela. - Consegue entender o que aconteceu a anja?

Eu quero que você saiba: com tudo eu não vou deixar acabar
Essas palavras são meu coração e minha alma
Eu vou me agarrar nesse momento, você sabe
Porque eu sangro meu coração para mostrar que eu não vou deixar acabar

Pensamentos lidos são falados, para sempre em dúvida
E pedaços de memórias caem ao chão
Eu sei o que eu fiz, e assim eu não vou deixar isso acabar
Porque é verdade: eu não sou nada sem você

Todas as ruas, onde eu andei sozinho
Sem lugar pra ir chegaram a um fim

— Ela deixou seus medos de lado e encarou-os com coragem. - respondeu a morena, olhando-o, ruborizada. - Uma pena as pessoas terem medo e não dispor de coragem necessária como a tal anja...
— Ela não foi covarde, pois sabia que seu amor valia todos os riscos, e tem horas em que as lágrimas só servem para nos enterrar em um mar de tristeza! - o loiro tomou coragem, e perguntou - Porque você não corre o risco, anja?
— É uma pergunta bastante interessante, tanto quanto a história. Mas como eu disse não sou uma anja, apenas mais uma medrosa. - falou tentando esboçar um sorriso.
— Quer saber o que eu vejo em você, Morgana?- perguntou olhando no fundo dos olhos da menina.
— Nos conhecemos? - perguntou sobressaltada.
— Sim! - respondeu. - Eu te conheço nos meus sonhos, Morgana, seu nome eu descobri por intermédio de uma de suas amigas. Eu ouvi quando a morena te chamava. - mentiu.
— Ah! - exclamou ela. - Desculpe, mas você me parece muito familiar, mesmo com esta máscara cobrindo seu rosto parcialmente... - emendou ela olhando atenciosa para o garoto.
—Não nos conhecemos...ainda! - ele baixou os olhos com medo de ser reconhecido, e perguntou. - Mas quer saber o que eu vejo em você? - Ela riu.
— Desculpe de novo, eu falo demais, principalmente quando fico nervosa... - falou dando um pequeno sorriso.
— Pois eu vejo em você uma menina corajosa, mas que tem um medo enorme de ser feliz... - murmurou.
Ela mordeu o lábio inferior e sorriu mais sem graça ainda. Não sabia o que dizer. O olhar daquele mascarado misterioso a hipnotizava cada vez mais, sem contar que sua voz emendada nas palavras belas o faziam ainda mais especial naquele momento.
Arthur sentiu uma necessidade urgente de tocar os lábios da morena, tirou o chapéu e olhou para os olhos dela mais uma vez.
— Eu vou correr o risco... - e selou os lábios da morena com os seus.
Sentiu que a morena suspirava durante o beijo e por um momento pode esquecer que os mesmos braços que o apertavam exigentes eram os mesmo que semanas atrás lhe davam tapas.
Céus! Beijar Morgana era tão surreal e ao mesmo tempo tão doce. Ela tinha um gosto tão diferente, algo como sonhar, não percebeu em que em certo momento, Morgana havia chego em seu colo, mas só desejou que aquilo nunca acabasse. Um calor torturante lhe subiu pelas pernas e se aquilo fosse um pedaço do inferno seria o pior dos garotos, para que pudesse ter mais e mais!
Se soltou relutante dos braços da morena para respirar.
— Me desculpe, eu... - tentou falar
— Não peça desculpas, só peça quando magoar alguém - respondeu a morena - e você está longe de fazer isso!
— Mas eu ...
— Cala a boca!
Se beijaram com vontade novamente. Estava virando hábito para Morgana beijar garotos desconhecidos em festas! Só que desta vez era diferente. Era tão mágico, que pensou se realmente aquele mascarado existia.
Separou-se daqueles lábios macios, com certa relutância. Não queria ter nunca mais que beijar outro. Sim, bastante precipitado, mas era isso que seu coração dizia. E agora queria deixar todo o medo de lado, e quem sabe para trás e desfrutar de tantas coisas que abrira mão. Seu cérebro imediatamente formou a imagem de Arthur. E ela saltou, levantando-se de imediato.
Por que tinha que pensar nele, quando encontrara o garoto de seus sonhos?
Encarou-o e respirou fundo. Ele a olhava curioso, pela reação que ela tivera. Não curioso pela supresa por Morgana ter correspondido com tanto fervor ao seu beijo, mas sim porque ela agora estava mais nervosa ainda. Talvez receosa.
Abriu a boca para falar, mas não conseguira, desviando os olhos em seguida.
Porque tinha que ser tão dificil?
Fechou os olhos com força, talvez fosse um delírio mesmo. Pensava em tantas coisas que seu cérebro poderia derreter, ou nunca mais funcionar direito. Quando abriu os olhos, deparara-se com o mascarado a sua frente. Tão próximo que sentia a respiração dele.
— Er... eu... eu não posso, eu tenho que ir! - gaguejou ela, ofegante. - É... eu tenho!
— Você pode sim - respondeu sorrindo - Podemos nos ver mais vezes? - a morena pensou um pouco e decidiu que Arthur não iria atrapalhar sua vida.
— Claro ,e me dê o número de seu telefone- falou pegando o celular. - A gente pode marcar..
— Não,eu vou te achar, eu prometo!
Ouviram a voz de Elena, chamando por Morgana, ela se virou para responder e quando voltou os olhos para o mascarado só viu uma rosa no lugar em que antes ele havia sentado e eles haviam trocado fervorosos beijos.
Se despediu das meninas, depois de atendê-las e foi andando para casa a praia, parecia tão triste e distante ao anoitecer. Sorriu e percebeu que a praia tinha muita semelhança com seu coração nesse momento. Abriu a porta e subiu as escadas lentamente, iria se jogar na cama de tão cansada e ao mesmo tempo confusa, mas algo chamou sua atenção. Uma rosa, e bem ao lado, um bilhete com uma simples frase: Não tenha medo dos riscos, Anja. Ass: Rei dos mares.
Morgana sorriu e segurou a rosa com todo o cuidado. Uma vez sua vó dissera que o amor é como uma peste, ataca a todo o momento e não espera, naquele momento, Morgana havia rido e pensado ser mais uma caduquisse da avó, mas nessas férias ela descobriria ser a mais linda de todas as verdades.

Nota da autora:Puxa,amei escrever esse cap,serio!!!!!!!E as meninas e os meninos ficaram lindos nas fantasias, não foi?Especialmente o Gwaine,o Arthur e o Merlin *-*E,ai q lindo o q o Arthurzinho disse pra a Morgs *-*Mais alguém suspirou na hora?*levanta as mãos e os pés*Mas nada disso foi melhor do que as parte do beijo *-*Por enquanto e isso e ate o próximo capitulo!
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Guinevere Pendragon em Ter Jan 03, 2012 10:41 am

Ginastica,flores e um segredo

O dia chegara silencioso. Todo o lugar pairava num silêncio mórbido. O baile de máscaras fora um evento incrível e no mínimo seria inesquecível para muitos. E como adoravam uma boa diversão se acabaram na festa, tanto garotos quanto garotas, e agora se encontravam em trapos humanos.

Os meninos ainda dormiam, pois além da preguiça habitual, tinham a noitada como desculpa.

Morgana havia acordado incrivelmente bem humorada, talvez pelo simples fato de ter tido a noite mais mágica de sua vida. Sorria involuntariamente a qualquer coisa. Espreguiçou-se na cama, e sorriu novamente. Verdadeiramente a noite passada fora excelente. A lua e as estrelas contribuíram para torná-la mais especial, e aquele mascarado?

Suspirou mais uma vez aninhando-se ao travesseiro macio. A rosa na mesinha de cabeceira abria-se com a manhã que a saudava.

— MORGANAAAAAAAAAA! - gritou Morgause, com sua voz estridente - Você está acordada? - perguntou na porta sendo seguida pelas Princess's..
— Estou, podem entrar! – falou ela com a voz alegre.
— Mas eu não... Podem ir embora! – resmungou Elena, na cama ao lado.

— Acorde! - gritou Gwen, se jogando entre Morgana e Elena a ponto de ouvir o resmungo da Pendragon - Ai que dia feliz!
— É mesmo um dia feliz! – exclamou Freya. – Morgana e seu sorriso gigante que o digam!
— Deu uns pegas em quem?- perguntou Sophia se jogando entre Elena e Gwen.
— Que coisa Sophia, daria para você se jogar em outro lugar? – indagou Elena mal-humorada. Morgana, porém sorriu e desviou os olhos para a rosa.

— SANTA MARIA DA VERDURA! - começou Morgause - A Morgs recebeu entrega da floricultura...
— Hm... Uma rosa solitária? Quem foi o romântico, que lhe deu isso? – perguntou Elena sonhadora.
— Bem... Er... – começou aos gaguejos.
— É meninas, todas nós beijamos muito, mas quem recebeu a rosa foi a Morgs – Gwen riu do próprio comentário. - Mas diga quem foi o don Juan?
— Eu não sei... – respondeu meio acanhada.
— Você não sabe? - exclamaram as sweets em uníssono.

— Aff! Esse negócio de falar tudo junto já está enchendo o saco! - resmungou Gwen.
— Ela sempre reclama disso... – murmurou Freya. – Mas... Como pode não saber quem te deu esta rosa linda?
— Eu não sei mesmo, não pude ver o rosto dele. Estava de máscara! – falou e sorriu, suspirando. – Ai meninas! Foi... Foi tão lindo!
— Ok! Deixa-me pegar os fatos com calma! - Morgause exclamou se sentando na cama. - Morgana-Certinha-LeFay deu uns pegas num mascarado e está nas nuvens? - a menina loira respirou e deitou por cima das amigas, para a raiva de Elena. – Cara, essas férias vão ser muito boas!

— Eu andei sim, "dando uns pegas" em um mascarado, e sim estou nas nuvens! – admitiu sorrindo. – Foi tão perfeito. Até agora me pergunto se ele era de verdade!
— Olhe para as flores e conclua que é a mais pura verdade! - resmungou Sophia, tentando tirar o pé do meio da confusão de sweets e edredons.
— Mas conta mais sobre o seu mascarado! – entusiasmou-se Elena.
— Ah...! – começou ela e mordeu o lábio inferior. – Ele é tão romântico, beija super bem e... É do tipo de garoto o qual eu esperava! Só que... Que têm um... Ah deixa para lá!
— O QUÊ? - exclamaram em conjunto mais uma vez.
— Aff! Isso realmente está ficando chato... - reclamou Gwen.

Morgana então começara a narrar algumas coisas às amigas...

Arthur acordara a pouco, levantara-se movido ao som dos roncos de Merlin. Antes estava tão cansado que não dera importância à altura do som, mas agora estava impossível ficar ali.

— Agora eu entendi porque ninguém queria dormir com ele, vou comprar um head phone assim que for possível! - resmungou e parou ao ouvir vozes no quarto de Morgana, e o que elas estavam conversando.

Bem... Já que estava ali, porque não ouvir?

Sorriu maroto e se posicionou para a espreitada. Nem os roucos de Merlin tiraram sua paz, estava feliz como em tempos nunca estivera. Beijar Morgana era um sonho e saber que beijaria a morena de novo era melhor ainda. Sorriu ainda mais quando ouviu que ele próprio era o motivo da conversa entre as amigas.

— Ai... Porque eu não encontrei esse mascarado? – lamentou-se Elena. – Tudo que consegui foi ficar com um "Elvis Presley" e um "Cowboy"... Ambos grosseiros!
— Pois eu fiquei com um Pirata e um carinha fantasiado de morte... - anunciou Gwen - Mas e aí, trocaram telefones?
— Não... – respondeu num lamento. – Mas ele disse que me encontraria. Agora como, eu não sei!
— Bem esse cara é charmoso e totalmente misterioso! - Comentou Morgause.
— Que sorte a sua Mione, eu passei a festa inteira tentando preservar meu lindo pescocinho... – comentou Elena.
— E preservou? – perguntou Freya, e a loira sorrira insinuante. – Oh! Não responda! – acrescentou rindo com as demais.

— Mas voltando ao carinha da Morgs, será que ele não teria um primo, ou nada parecido? – brincou Elena, tirando a atenção de si.
— Elena, não seja assim tão gulosa! Você tem o vampirão Gwaine!- brincou Sophia.
— Mas sejamos francas, estou ansiosa para que ele me encontre! – disse Morgana e soltou um risinho. – Caramba! Estou tão pateticamente...! Apaixonada?

— Apaixonada! - Exclamou Arthur, não se contendo de felicidade.

— Ouviram isso? - perguntou Sophia.
— Eu ouvi, e da última vez que ouvimos um ruído assim, alguns "ratinhos" apareceram... – comentou Elena, e todas olharam para a porta entreaberta.
— Eu disse para vocês fecharem à porta! – reclamou Freya.
—Ahh! Ninguém aqui tem nada a ver com o mascarado - resmungou Gwen.

— Vocês que pensam... - riu Arthur.

— É... Gwen tem razão. Aliás, estou louca para descobrir quem é esse mascarado. – falou Elena, ajeitando o cabelo.
— Não mais do que eu! – afirmou Morgana.
— Pois de agora em diante Princess's, nós temos uma missão. - Gwen sorriu de pé em cima da cama. - Encontrar o mascarado e ganhar o festival de bandas!

—Ai caraca, me ferrei!- Arthur falou, começando a sentir um pequeno mau humor lhe atingir.

— E tomara que saiamos vitoriosas das duas empreitadas... – disse Morgana.
— Nós somos vencedoras girls! - gritou Gwen, se jogando em cima das garotas.
— Aii! Gwen! – exclamou Elena, rindo.
— Guerra de travesseiro! - anunciou Sophia.
— Não... Não... – murmurou Morgana, que em seguida levou um travesseirada na cabeça. – Hei!

E uma festa de penas e fronhas ocorreu no quarto de Morgana e Elena, coisa que Arthur nem ao menos tinha prestado atenção. Desde que a frase: "encontrar o mascarado"; havia saído da boca de Gwen que sua mente travara de maneira surpreendente.

E agora o que faria?

Era a última coisa que gostaria de fazer, mas se as Princess's estavam na parada o jeito eram pedir reforço aos Knight's.

Rapidamente caminhou até o quarto que dividia com Merlin. O moreno ainda dormia com a boca escancarada. Arthur então se aproximou dele e lhe deu um safanão na orelha. O amigo permanecera como estava, dormindo pesadamente.

O loiro pegou então uma toalha que repousava em cima de uma cadeira, e enrolou-a totalmente, - torcendo-a, - em seguida despejou um golpe certeiro em cima de Merlin(N/A:Típico do Arthur q a gente conhece,fazer isso,Razz ). Ele então abrira os olhos de súbito, gemendo.

Logo depois o loiro deixou o quarto, e o moreno a alisar o local da pancada. Mataria Arthur assim que entrasse novamente no lugar!

Minutos depois ele chegou com a tropa sonolenta. Todos os amigos ainda de pijamas e bocejando, encheram o quarto. Cenred sentou-se na cadeira perto de uma mesinha e debruçou-se cansado sobre ela.

— Espero que tenha sido por uma boa causa todo este alarde logo cedo! – murmurou Cenred com uma voz de sono.
— Por uma ótima causa! - o loiro respondeu de mau humor - Preciso da ajuda de vocês.
— Exatamente para o que? – perguntou Lancelot, esfregando os olhos, e ajeitando a calça do pijama.
— Ok, eu vou direto ao ponto. Beijei a Morgana... Ela não sabe que sou eu... Ta gamadona pelo "mascarado" e as Princess decidiram investigar! - o loiro respirou e continuou - Preciso de ajuda!

— Só isso? - perguntou Gwaine. - Boa noite, quero dormir mais um pouco! - o moreno se virou de repente, assimilando melhor. - Você beijou a Morgana nada mais normal... Você beijou... O QUÊ? NOSSA!
— É... Nossa mesmo! E ele ainda está vivo! – caçoou Cenred endireitando-se na cadeira. Os outros riram.
— Esqueceu que ela ainda não sabe que é ele, porque quando ela souber... Não sobrará pedra sobre pedra! - anunciou Merlin.
— Nem pedra, e nem nada! – concordou Mordred. – Mas o que quer que agente faça?
— Não podemos usar de violência Arthur... – brincou Lancelot.
— Mas podemos usar o corpo-a-corpo - sugeriu Gwaine – Ah! Isso seria ótimo!

— Cale a boca Gwaine, ele vai te matar, além de andar atrás do pescocinho alvo da Elena ainda quer usar o corpo a corpo com a Morgana...? Parabéns! Acaba de assinar sua sentença de morte. – falou Lance, zombando.
— Eu não falei da Morgana. - explicou o moreno calmamente - Eu falei das Princess em geral, Lancelot lindinho da mamãe! - zoou bem humorado - Eu tenho o pescocinho da Pendragonzinha, mas vocês têm de quebra um pescoço moreno, um outro pescoço moreno, um pescoço loiro e um pescoço de uma esquentadinha ruiva e o da Morgana, é claro!
— Ai... Acho que o sono favorece aos lesados por natureza... Não é que ficam espertos? – comentou Cenred.
— E os NERDS que não pegam ninguém sempre são beneficiados. - replicou Gwaine.
— É o que? – indagou levantando-se.
— Nerd, que ta na SECURA e de mau humor! - continuou o moreno.
— Ai! - atiçou Merlin - Chamou o pai de coxinha e a mãe de bife!
— Ah, vê se cala essa boca! – retrucou Cenred. – Eu não estou na SECURA!
— SÉRIO? - o moreno sorriu desdenhoso. - Pois você não pegou ninguém na festa e olha que até o Mordred se deu bem, você é um escornado social Cenred.
— Vocês é que pensam que eu não peguei ninguém, só que ao contrário de vocês, eu não fico me exibindo! – falou ele irritado.

— Deixa de ser mentiroso Cenred - se intrometeu Merlin - Você passou a festa inteira no bar, duvido que alguma garota fosse te beijar com aquele bafo de cachaça, futuro alcoólatra!
— Fica calado, Jedi do Paraguai! Eu beijei sim, alguém na festa! – afirmou ele. – Se quiserem acreditar fiquem a vontade, senão vão se catar!
— Ui, ta de TPM a biba. - escarneceu Gwaine. O outro garoto avançou contra Gwaine, que recuou.

— Já chega! Beijou ou não beijou alguém? Qual era mesmo sua fantasia? Pra eu poder fazer uma analogia... – falou Lancelot.
— Era Freud, seus burros!

— Certo, então doutor maluco, quem você pegou na festa, além de copos de cerveja?
— Sabe... - começou Arthur tentando imitar um doutor. - Às vezes as pessoas têm uma tendência a imaginar coisas no momento da bebedeira, mas geralmente passa, entretanto no caso desse menino a alucinação continua, sugiro então uma internação rápida!
— Ah! Vão se ferrar! – resmungou ele. – Tchau pra vocês! Vira-se aí com o Lancelot e os três patetas!

— Não Cenred! - exclamou Arthur. - Eu acredito que você pegou uma loira linda, mas, por favor, fica.
— Não foi uma loira! – retrucou ele já no corredor.
— Então quem foi? - Perguntaram todos juntos.
— A Gwen está certa... - falou Gwaine - Isso está virando epidemia.
— Está bem vou contar pra vocês... – falou ele aparecendo no quarto novamente.

— Pois então conte - Gwaine falou. - Hei tive uma idéia, que tal um pacto? Cada um conta quem pegou e a gente jura segredo eterno e nos ajudamos a ficar com as garotas, que tal?
— É... Parece-me justo. Então vamos começar com você Gwaine, já que deu a idéia! – sugeriu Lancelot, sorrindo.
— Sim, antes eu proponho outro pacto, seja quem for e não importa quem eu tenha pegado; ninguém pode me capar ou me bater, todos apóiam?- ao receber a afirmativa dos amigos continuou – Ok, eu peguei a... Elena!

- O QUÊ? - exclamou Arthur – Cara, eu vou te matar!
- Você prometeu! - lembrou Gwaine.

Arthur teve de se conter e sentar novamente com o sangue fervendo.

— Certo, então podemos passar, para o próximo. – interveio Cenred. – Quem se habilita? Jedi do Paraguai?
— 'Ta bom lá vou eu... - falou sorrindo - Eu peguei a Freya , cara aquela saia de cigana faz milagres para homens com mão boba! – comentou. – Lancelot?
— Ok, eu... Lembrando estamos sobre os dois pactos. Bem... – começou Lance. – Eu não pude resistir a coelhinha...
— Está bem, agora sou eu! – exclamou Cenred. – Bem, eu beijei a freira.
— OH! - murmurou Gwaine - Uma freira? Pai perdoa, ele não sabe o que faz!
— Eu beijei a Morgause, seu paspalho! – exclamou Cenred, revirando os olhos.
— Ah! Sei... - Merlin falou não acreditando no papo do amigo, deixando sua busca assassina por Lancelot para depois. - Você beijou a mesma garota que vive te chamando de velhote mau crescido?
— O Arthur não beijou a Morgana, que além de maltratá-lo, algumas vezes já bateu nele? – indagou arqueando a sobrancelha. – Então, porque a Morgause não me beijaria?
— Bem... A Morgs beijou o Arthur, porque ela não sabia que era o Arthur, seu idiota! - falou Gwaine dando um famoso "pedala Robinho" no amigo.
— O que isso muda? Era o Arthur! Fora que o Merlin deu uns amassos na Freya, e o''Lancelotzinho" ali, pegou a Gwen! – retrucou devolvendo o gesto, com mais força. – Quer que eu cite mais?

— Gwen? A minha irmã?- perguntou Merlin.
— Não! A sua mãe...! - exclamou Cenred.
— Acho que a mãe do Merlin não ficaria bem de coelhinha, não... - falava Mordred, sendo ignorado.

— Lancelot DuLac, corre! Se você não correr a pancada vai ser maior, então corre! - avisou Merlin ao moreno.
— Não me mete medo, Merlin. Fica na sua, esqueceu do pacto? – desdenhou Lancelot sem se mover.
— Eu jurei isso nesse quarto, mas eu não jurei nada sobre te bater lá fora! - explicou o moreno com um sorriso divertido.
— Continuo com medo! Olha só como estou tremendo? – zombou mais uma vez. – Eu te arrebento com uma mão só. Então não venha bancar o valentão, eu não fiz nada que sua querida irmã coelhinha não quis!
— Ai... Lá vão eles... – murmurou Mordred,já cansado com o bate-boca.

— Dale Gwen! Dando uns pegas no moreno, se eu fosse você Merlin, eu batia muito no Lancelot, onde já se viu beijar a irmã do amigo? - Gwaine falava em tom de curtição.
— É... Onde já se viu não é Gwaine? Você que o diga, Elena não foi sua vítima? – lembrou Lancelot.
— O Arthur é meu primo, não meu amigo... - explicou.
— Bom saber Gwaine, tomara que você corra melhor do que fala, pois vai precisar correr mais que o DuLac! - desafiou Arthur, cruzando os braços.
— Se deu mal, otário! – riu Cenred.
— Ai ferrou! - gritou Gwaine enquanto corria em direção a sala, sendo imitado por Lancelot que fugia das mãos de Merlin.

"Bem... queridas, essa é a posição do macaco invertido. Fique em pé e coloque as mãos nos pés, devagar... muito bem agora puxe toda a extensão da perna..."

O grupo de garotas, todas elas trajando roupas de ginástica justas e coloridas, imitavam a mulher que falava suave. Gwaine veio correndo, e parara de súbito, fazendo Lancelot bater com o corpo no outro, paralisado. Assim aconteceu com o restante. Arthur, Merlin e Cenred.Mordred, por ser mais lento, se safou do encontrão.

— OH, meu Deus! – exclamou Lancelot. – Se o paraíso se parecer com isso, Merlin pode me matar!
— E quem disse que você iria pro paraíso? – indagou Mordred, embasbacado.

Agora queridas, essa posição se chama: matando a EX! Ela é muito simples. Basta seguir passo a passo... Pense na ex do gatinho que você está super a fim ou mesmo o seu namorado... Agora imagine a cara dessa lambisgóia e chute... chute... chute... chute! Muito bem, agora use a outra perna!

— Santa Maria da matemática, essa aeróbica da Katrina é "A" ginástica - exclamou Morgause, enquanto chutava.
— Odeio ginástica! – exclamou Morgana, fazendo corpo mole.
— Vamos lá Morganinha, ainda falta a melhor parte, a parta da ginástica conjunta!- Sophia tentava animar a amiga.

Agora queridas, o nosso próximo exercício chama-se: Encoxada, a brasileira. Nesse exercício você vai pedir a ajuda de um homem ao seu lado, peça para que ele levante a sua perna em um angulo de 90º graus... Vamos lá peça ao homem mais próximo que faça isso por você.

— Aiii! Odeio... Odeio... Odeio essa ginástica... – cantarolava a morena.
— Alguém avise a ela, que homens estão em falta nas prateleiras desta loja! – brincou Freya.
— Ih! Onde nós vamos arrumar os homens, pra ajudar neste exercício?-perguntou Sophia.
— Eu sei lá! – deu de ombros, Elena.
— Eu não tenho essa elasticidade toda, será que não serve uns 45° graus? – perguntou Morgana.

— Aqui! Pode me usar, que eu não ligo! – exclamou Gwaine num tom baixo, depois de sair do "transe".

— NÃO, só serve com 90º graus, porque 45º graus não fazem uma abertura completa! - explicou Gwen. – Ok, vamos chamar os meninos! – gritou à morena.
— O que? Eu me recuso, odeio ginástica mesmo! – falou Morgana.
— "Santa Maria da Muquíça", tire a Morgana da preguiça! - intercedeu Morgause, colocando as mãos pra cima.
— Ninguém é capaz de tirar Morgana LeFay da preguiça! – comentou Freya, e a morena sorrira forçadamente.
— Vamos lá Morgs... - pedia com esforço, a morena. - Por nós!
— Sinto muito, meninas! – falou firme. – Não!
— OK, vou partir pra artilharia pesada! - Sophia falou sorridente. - Se você não participar da aula de ginástica eu espalho pra todo mundo o que aconteceu ontem com você!
— Oh! – exclamou a morena, que estreitou os olhos. – Isso não é legal Sophia, chantagem é uma coisa muita feia e desleal! Conte, e o mundo irá descobrir seus piores segredos...!
— Eu sou um livro aberto, todas vocês me viram bêbada tirando as roupas na festa de natal, ou seja... Não tenho nadinha a perder! - concluiu a roqueira feliz.
— Não tem mesmo? – insistiu Morgana, apontando para uma almofadinha de Freya em formato de sapo.
— Bem... Isso é um segredo, mas por pouco tempo! Se você quiser contar logo pra ele, pode fazer me poupará trabalho. - falou a menina resistente.
— Que droga! – murmurou Morgana. – 'Ta legal, vou falar com o rei Druida! – emendou fazendo menção de se retirar. Sophia ficou tensa, mas não se movera de imediato. Hesitava.
— Sophia, o que você está fazendo? Ela vai contar o seu segredo! Pare logo com isso.
— Querida eu estou tentando ganhar por persistência, a Morgana é muito boazinha pra fazer esse tipo de coisa! Ela não vai me dedurar, mas eu a dedurarei com certeza! - explicou a amiga.

Morgana olhou para a amiga, como se esperasse um sinal. Nada viera, então começou a caminhar em direção ao corredor que a levaria para os quartos.

— Druidazinho...? – cantarolava passando a andar lentamente. – Eu vou mesmo! – acrescentou séria.
— Vai Morgs, mas saiba que logo após a sua ajudinha eu vou contar o seu grande segredo! - a menina começou a olhar para as unhas cutiladas. - Que pena que você não quer fazer ginástica!
— É mesmo uma pena! Mas saiba você também vai me ajudar. Eu não tenho nada a perder, exatamente como você... – retrucou. – Mordred...!
— Só mais um pouco ela não terá coragem... - falou suando frio.
— Ai... Não sei não, ela está obstinada! Acho que tem coragem suficiente pra isso... – comentou Elena, suspirando cansada.
— "Santa Carla do pavio curto"... - começou Morgause. - Se ela falar, a Sophia terá um surto!
— Última chance. O que me diz? Sophia? – questionou Morgana, esboçando um meio sorriso.

A garota respirou fundo, sabia que estaria se expondo a um grande fora ou a um belo beijo na frente de todos, mas tinha que se arriscar. Tudo pelo bem da ginástica da Katrina!

— Vá em frente Morgs!
— Está bem, depois não me venha reclamar... – murmurou antes de sair.

Os meninos que viram e ouviram tudo, saíram em disparada voltando para seus respectivos quartos, um atropelando o outro, na pressa.

Afinal não poderiam ser pegos no flagrante...
avatar
Guinevere Pendragon

Mensagens : 153
Data de inscrição : 04/06/2011
Idade : 27
Localização : Camelot, no quarto de Arthur. *evil smile*

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Fanfics da série Merlin

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum